quarta-feira, 26 de abril de 2017


Esses "índios" que a esquerda arranjou para protestar ontem, todos "isolados do homem branco"... rs


A banda cajazeirense Forró Tora Chinela estará desde hoje em dois eventos em João Pessoa. Vejam os detalhes e o vídeo oficial do grupo.

A Banda Forró Tora Chinela estará em João Pessoa para dois eventos: hoje, logo mais no Bessa Grill, gravam o programa Cantos & Contos com Mahatma e Beto Hortis e, amanhã, fazem show especial, também nesta casa, na praia do Bessa.

Para mostrar um pouco do seu talento, sinta o som com o clip oficial do Forró Tora Chinela. Em destaque os artistas Joabson do Acordeon e Eduardo Jorge. 



Vai vendo...

Urgente: TCU aprova auditoria de BNDES
O Antagonista

Por unanimidade, os ministros do TCU aprovaram agora o relatório de auditoria que aponta irregularidades no aporte de US$ 750 milhões do BNDES no grupo JBS para a compra do frigorífico americano Swift.

Será aberta uma tomada de contas especial para consolidação dos achados e responsabilização dos dirigentes do BNDES envolvidos na operação, inclusive o ex-presidente Luciano Coutinho.

Num Brasil de Lava Jato, Palocci teria sido abatido em 2001
Elio Gaspari
Folha de São Paulo
O ex-ministro Antonio Palocci

A dúvida é se Antonio Palocci fala ou não fala. Que ele tem o que falar, ninguém duvida. Afinal, foi ministro da Fazenda de Lula, chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff e queridinho da plutocracia nacional. Um petista do bem, para quem tinha horror à espécie. Espera-se que ele fale de Lula e teme-se que fale do naipe de atrevidos da banca. Não se podendo saber do que vai acontecer, fale-se do que já aconteceu.

Em 2001 o comissário Palocci era prefeito de Ribeirão Preto e sua administração licitou a compra de 12 produtos para abastecer 40.500 cestas dos programas sociais e da merenda escolar do município. Na lista constavam latas de "molho de tomate refogado e peneirado, com ervilhas". Comerciantes locais reclamaram, pois no mercado não havia molho de tomate com ervilhas.

A prefeitura poderia ter retirado a ervilha do molho e o problema estaria resolvido, mas sustentou que havia dois fabricantes e foi em frente. Falso. O único fabricante de molho de tomate com ervilha ficava no Rio Grande de Sul.

Fizeram-se duas compras emergenciais e, mais tarde, quatro empresas foram habilitadas.

O fabricante gaúcho só vendia seu molho de tomate para uma empresa de São Caetano, a Cathita, uma das selecionadas. O depósito da Cathita ficava ao lado da sede da Thathica (outra das escolhidas). As mulheres dos donos da Thathica e da Cathita eram sócias na Gesa, a terceira habilitada, que forneceu as cestas emergenciais. Tanto a Thathica, como a Cathita e a Gesa tinham o mesmo procurador que a quarta empresa escolhida, o supermercado Estrela de Suzano.

Quando a história do molho de tomate com ervilha estourou, Antonio Palocci tornara-se coordenador do programa de governo do candidato Lula à Presidência da República. Seu antecessor, Celso Daniel, fora assassinado, num dos mais misteriosos casos da história do comissariado.

Um ano depois, com Palocci no Ministério da Fazenda, o procurador-geral da República não viu indícios de que ele tenha participado das eventuais irregularidades ocorridas na compra do molho de tomate com as indispensáveis ervilhas.

Palocci é capaz de falar por mais de uma hora sobre um caso, andando em círculos, repetindo os mesmos argumentos. Sua calma, ajudada pela dicção e pela capacidade de dizer qualquer coisa sem trair emoção, ficou mais uma vez demonstrada durante sua ultima audiência com o juiz Sergio Moro.

Nela, foi capaz de exaltar sua sabedoria econômica informando que antes da crise de 2007 mostrava aos clientes de sua consultoria os riscos das operações com derivativos cambiais. Vendia o nascer do sol. A Sadia, por exemplo, meteu-se com derivativos, mas não quebrou por falta de informação, foi aposta mesmo.

Palocci tornou-se o queridinho do andar de cima porque foi o principal inspirador da guinada de Lula, jogando fora a fantasia de inimigo do mercado. Tudo bem, mas nesse namoro, Lula não despiu a farda de comissário-geral. Nessa conta já estavam o cadáver de Celso Daniel, as tramas de prefeitos petistas com fornecedores e concessionários de transportes. O molho de tomate de Palocci era o início de uma história na qual uma nova equipe de rapinadores associava-se às velhas guildas de larápios e da tolerância oportunista. O doutor tem o que contar.

Os artistas cajazeirenses, Cigano do Arrocha e Naldo Guitar, fizeram o maior sucesso em João Pesssoa, no último fim de semana. Agora, vão fazer show em Fortaleza, no Boteco do Barão do meu amigo Ricardo Bandeira. Vão arrasar!


Pensando bem...


O Brasil é um país onde:

- Aqueles que se dizem "defensores dos trabalhadores" organizam uma "greve geral" contra a reforma trabalhista, que gerará mais trabalhadores, e contra a reforma da previdência, que busca evitar que os trabalhadores de hoje fiquem sem aposentadoria no futuro;

- Aqueles que fazem apelos constantes à necessidade do "debate" político e "senso crítico" nas escolas são os primeiros a irem às ruas bovinamente gritando jargões fabricados em algum partido político;

- Aqueles que gritam "nem um direito a menos" e/ou "mais direitos" geralmente vivem às custas daqueles que são obrigados pelo estado a financiar tais "direitos";

- Aqueles que bradam diariamente contra os "rentistas" e o "capital financeiro" são os primeiros a apoiar mais gastos do governo, o que leva inevitavelmente a mais inflação, mais juros e, portanto, mais capital financeiro para os "rentistas";

- E aqueles que são contra uma legislação fascista como a CLT são chamados de "fascistas" por aqueles que a apoiam.
EXCLUSIVO: PALOCCI CONTRATA ADVOGADO PARA DELAÇÃO
O Antagonista

O Antagonista soube que Antonio Palocci fechou contrato com o advogado Adriano Bretas para negociar sua delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato.

O italiano rompeu a Omertà petista.

Nosso amigo Emídio Neto solta a voz em homenagem ao inesquecível Jerry Adriani

"Ad perpetuam rei memoriam"

Prof. Emídio Ferreira Neto renova o tempo lembrando o passado do Juventude Show, em Jatobá

Eita, diabo! Agora, engrossou e começou a guerra entre Coreia do Norte e Coreia do Sul! Veja o vídeo.

video
Enviado por Marlon Vasconcelos

Greve convocada e liderada pela CUT (e outros assemelhados) não deve ser coisa boa para o Brasil.

Isabela Palhares e Giovana Girardi - O Estado de S.Paulo

A adesão dos professores da rede particular à greve geral contra as reformas da Previdência e trabalhista gerou divergências nas escolas de São Paulo entre pais, direção e funcionários. Em alguns colégios foi aprovada a paralisação na sexta-feira, 28, e, em outros, um dia de debates sobre o assunto com os alunos. Segundo o Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP), cerca de 100 colégios da capital – de 4,5 mil unidades – confirmaram a greve.

No colégio São Luiz, na região central da capital, um comunicado que informava aos pais a decisão da escola de acolher a decisão dos professores de aderir à paralisação gerou insatisfação. A psicanalista Helena Zimerman, de 50 anos, que tem dois filhos na unidade – no 1.º e 3.º anos do ensino médio –, criticou a postura da escola que, segundo ela, “tem cunho escancaradamente político”. “Estão impondo um posicionamento ideológico e arrastando todo o corpo discente junto. Jovens que estão em formação não deveriam estar sujeitos a esse tipo de situação”, disse.
É a primeira vez, desde 2003, que professores da rede privada aderem a uma greve

Ela contou ter feito reclamação na ouvidoria do colégio e disse que está, com outros pais, organizando um abaixo-assinado em repúdio ao comunicado. Na carta, o colégio afirma que é isento de alinhamento partidário e que “são inúmeras” as razões apresentadas para a manifestação. “Cremos que todos desejaríamos que reformas estruturais como as que estão sendo propostas não fossem realizadas a toque de caixa, sem o debate qualificado e o envolvimento dos diferentes grupos de interesse”, diz o texto. “Certamente há famílias insatisfeitas, mas esta é a posição não apenas do colégio, mas de toda a Rede Jesuíta de Educação no Brasil.”

Divergências como essa também aconteceram em outros colégios da capital, como Santa Cruz, Escola Viva e Stance Dual, e levaram pais a escrever cartas e se mobilizar nas redes sociais contra a paralisação.

Há escolas também onde haverá aula e discussões sobre a reforma trabalhista. O colégio Santa Maria, na zona sul da capital, encaminhou na segunda-feira um comunicado aos pais para informar que o horário de aulas será mantido, mas os professores irão debater com todos os alunos para a “compreensão da ideia dos processos de reforma e mudanças de lei”. O veterinário Eduardo Henriques, pai de três meninos que estudam na escola, disse não ter gostado da postura adotada. “Não é um debate que cabe dentro de sala de aula, porque deixa claro o posicionamento político da direção. Para mim, era melhor que eles tivessem aderido à paralisação ou que dessem aulas normalmente. São os pais que devem falar sobre isso com os filhos.”
Segundo o Henriques, a decisão da escola gerou conflitos entre os pais em grupos de WhatsApp. “Alguns pais, assim como eu, acham que a escola está defendendo uma ideologia, uma linha de pensamento político. Outros acham que não há nenhum problema.”

O colégio disse entender que é seu papel social desenvolver a consciência crítica dos alunos para ajudá-los a entender a atual e futura situação do País. “Eles têm direito a entender as diversas perspectivas, as consequências e implicações previstas por muitas das propostas”, diz o comunicado.

No colégio Equipe, na região central, haverá discussões na quinta-feira à noite sobre a reforma. Paula Calabró, mãe de uma aluna de 12 anos do 7.º ano, disse que acha justa a paralisação e concorda com a forma como o colégio optou por tratar a questão. Na sexta, dia da greve, haverá aulas públicas sobre as mudanças na legislação.

É a segunda vez que a escola se manifesta em relação às reformas. No dia 31 de março, professores e funcionários forem trabalhar vestidos de preto, assinalando a idade em que se aposentarão caso passe a reforma da previdência.

Adesão. Silvia Barbára, diretora do Sinpro-SP, disse que é a primeira vez, desde 2003, que os professores da rede particular aderem a uma greve – na ocasião eles reivindicavam reajuste para a categoria. “A polarização que a sociedade vive também existe nas escolas, com professores de esquerda e de direita. O que a categoria percebeu é que essa situação transcende a toda essa divergência porque afeta duramente a todos.”

A Associação Brasileira de Escolas Particulares (Abepar), que reúne colégios tradicionais de São Paulo – como Bandeirantes, Escola da Vila e Santa Cruz – se manifestou contrária à paralisação, apesar de afirmar reconhecer como “legais e aceitáveis” as manifestações. “Na atividade docente, o aluno deve estar sempre em primeiro lugar. A hipótese de interrupção das aulas não é aceitável. Trata-se de gesto que, se efetivado, representaria quebra nas relações contratuais dos professores com as escolas e destas com a comunidade de pais e alunos.”

"É a vida e é bonita, é bonita..."

O desembarque
Cilene Pereira
IstoÉ
“É doloroso ver que o PT não pôde manter as mãos fora da caixa registradora” Noam Chomsky, filósofo, ícone da esquerda mundial
“No PT eu não voto nunca mais. Fazia isso por uma integridade que não existe” Antonio Fagundes, ator

“É simplesmente doloroso ver que o Partido dos Trabalhadores do Brasil – que implantou medidas significativas – simplesmente não pôde manter as mãos fora da caixa registradora. Juntou-se à elite extremamente corrupta, que está roubando o tempo todo, e desacreditou-se.” A frase é do linguista e filósofo americano Noam Chomsky, 89 anos, um dos maiores pensadores da esquerda da atualidade. Foi dita em uma de suas últimas entrevistas, dada ao site de notícias Democracy Now, e resume com perfeição a desilusão de parte significativa da esquerda mundial com o partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Aos poucos, assim como seu ícone Chomsky, ela desembarca do projeto PT.

Forte desilusão
O lance mais recente a dar força a esse movimento foi a divulgação do conteúdo das delações dos ex-executivos da Odebrecht escancarando a promiscuidade das relações entre os governos petistas e a empreiteira. Diante das provas indiscutíveis de conluio com a empreiteira baiana, muitos apoiadores do partido, alguns de primeira hora, estão revendo suas posições e já falam publicamente a respeito do assunto. Uma dessas pessoas foi a psicanalista Maria Rita Kehl, de São Paulo. “É claro que é muito decepcionante que Lula tenha sido delatado na Lava Jato. Ele não era uma pessoa tão bacana e tão íntegra”, disse em reportagem do Jornal “Folha de S. Paulo”.
“Sou um esquerdista desiludido. Acreditava que haveria uma mudança” Luis Fernando Veríssimo, escritor

O desapontamento particularmente com Lula é um dos fatores a estimular a retirada do apoio da esquerda ao PT. Em sua fala, o marxista Chomsky é incisivo ao demonstrar o efeito nocivo que os ilícitos cometidos pelo ex-presidente provocou para o sonho de execução de programas de governo que, a princípio, deveriam ter sido regidos por princípios éticos e progressistas. Por isso, na sua crítica ao comportamento da esquerda na América Latina, o intelectual pede o surgimento de lideranças que tenham a honestidade como uma de suas marcas. “Espera-se forças mais honestas que, primeiro de tudo, reconheçam a necessidade de desenvolver a economia de uma maneira que tenha um alicerce mais sólido, não apenas baseado na exportação de matérias-primas e, em segundo lugar, sejam honestas o suficiente para desenvolver programas decentes sem roubar o público ao mesmo tempo.”

Até o Petrolão, a debandada mais expressiva do PT havia ocorrido no Mensalão, em 2005. Na ocasião, petistas históricos, como Chico Alencar e Plínio de Arruda Sampaio, deixaram o partido. De lá para cá, no entanto, a escalada de denúncias contra o partido causou a retirada gradativa de apoio de muita gente. Incluem-se aí o ator Antonio Fagundes e o escritor Luis Fernando Veríssimo. “No PT eu não voto nunca mais. Todo mundo que votava no partido fazia isso por uma integridade que estamos vendo que não existe mais”, disse Fagundes. Veríssimo apresenta-se como um esquerdista desiludido. Declarou publicamente que se decepcionou com Lula, de quem foi eleitor. “Acreditava que haveria mesmo uma mudança na política brasileira.” Agora, a gravidade das denúncias da Lava Jato abala até mesmo quem havia se desencantado lá atrás. “Fiquei muito triste. E envergonhado”, desabafou Gilson Menezes, um dos fundadores do PT e hoje filiado ao PDT. “Houve um tempo em que eu colocaria minha mão no fogo por Lula. Hoje não mais. Também estou muito decepcionado com outros ex-companheiros, como José Dirceu e Antonio Palloci.”
“É claro que é decepcionante que Lula tenha sido delatado na Lava Jato” Maria Rita Khel, psicanalista
GOVERNO
GUILHERME AMADO
O Globo
O esforço do governo é aprovar hoje a reforma trabalhista com o placar de pelo menos 308 votos no plenário, número que seria suficiente para aprovar a reforma da Previdência. A aprovação da trabalhista exige maioria simples, ou seja, 257 votos, mas o Planalto quer demonstrar que tem uma base fiel o suficiente para chegar aos três quintos (308) dos votos necessários para a Previdência.
Coluna Painel - Folha

Cerco fechado Parecer de auditores do TCU, que será levado ao plenário nesta quarta (26) pelo ministro Augusto Sherman Cavalcanti, recomenda abertura de tomada de contas especial sobre empréstimos feitos pelo BNDES à JBS, durante os governos Lula e Dilma Rousseff. A tendência é que o ministro chancele a indicação da unidade técnica. A tomada de contas abre possibilidade para que a corte responsabilize a diretoria do BNDES pelas ações e peça o ressarcimento de dano ao erário.

Chamada Os auditores recomendam que o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho e outros dirigentes da época sejam chamados a dar explicações sobre os negócios que aprovaram.

A Terceirização no Japão é pra se lascar... Veja o vídeo.

video

Chico Pinheiro, da Globo, leva chapuletada no twitter.


Propina ou suborno
Ruy Castro
Folha de São Paulo
Empresário Marcelo Odebrecht, preso na Lava Jato, chega à sede da Justiça Federal, em Curitiba (PR)

Se, a esta hora, você já leu o seu jornal, ouviu rádio ou assistiu à televisão, é fatal que tenha passado várias vezes pela palavra propina. É a palavra do ano no Brasil, e ainda estamos em abril —provavelmente já deveria tê-lo sido nos anos anteriores, desde que a Lava Jato entrou em cena. Você sabe o que significa. É o dinheiro que, drenado dos bolsos da nação pelos governantes para beneficiar empreiteiros amigos, tem parte dele redistribuído para partidos e políticos empenhados em se eternizar no poder, viver à tripa forra ou ambos. A Odebrecht, por exemplo, pagou US$ 3,3 bilhões em propinas e caixa dois a 92 políticos, de 2006 a 2014 —disse o noticiário.

Um passeio pelos dicionários, no entanto, revela que propina (do latim "propina", dádiva), significa gorjeta, gratificação —e só. Assim rezam o "Aurélio" e o "Houaiss". Ao estender cinquentinha fora do cartão para nossos amigos garçons do Caranguejo ou do Bar Lagoa, estamos oferecendo-lhes uma inocente propina pela gentileza do serviço prestado, e eles não veem nenhum motivo para se ofender.

Enquanto isso, outra palavra, embora tenha o seu próprio e sólido verbete, começa a se evaporar da língua: suborno. Diz o "Aurélio": "Suborno. Ato ou efeito de subornar". Subornar: "Dar dinheiro ou outros valores para conseguir vantagens; coisa oposta à justiça, ao dever ou à moral". Por extensão: aliciar, corromper, comprar. Não se faz isso com os queridos garçons. Faz-se com políticos, executivos e gente do governo.

Donde o que tem corrido solto no Brasil é suborno mesmo, não propina. Não que faça diferença, claro.

Apenas para que os cartunistas do futuro não cometam a injustiça de desenhar Lula de paletozinho branco meio amarrotado e borboleta preta, palito à boca, toalha no braço e bandeja na mão, servindo mesas.

Na capa d'O Globo


A primeira página do jornal Lance


A bem ilustrada capa do jornal Estado de MInas


As manchetes do jornal Diário do Nordeste


As manchetes de jornais brasileiros nesta quarta-feira

Folha: Reforma trabalhista avança e será votada hoje

Globo:  Reforma trabalhista avança e governo tenta ampliar apoio 

Extra: Servidor do Rio não deverá ter reajuste e antecipação do 13º

Estadão: Reforma trabalhista avança e governo mira previdência

ValorEconômico: Reforma reduz poder de sindicatos e corta custos

ZeroHora: Reforma trabalhista passa em comissão e vai para votação em plenário hoje

EstadodeMinas: OAS pagou a Lula US$ 1 milhão por palestras

CorreioBraziliense: Governo mostra força na reforma trabalhista

- CorreiodaBahia: Casarão desaba sobre família

- DiáriodePernambucoProva de fogo para o governo

DiáriodoNordeste: Reforma trabalhista deve ser votada hoje em plenário

CorreiodaParaíba: Reforma trabalhista avança

terça-feira, 25 de abril de 2017

COMISSÃO DA CÂMARA APROVA TEXTO DA REFORMA TRABALHISTA POR 27 A 10
COMISSÃO DA REFORMA TRABALHISTA APROVA TEXTO-BASE COM FOLGA
DiáriodoPoder
A COMISSÃO COMEÇOU A DISCUTIR O TEXTO DA REFORMA ÀS 11H30. 

Foi aprovado há pouco, com 27 votos favoráveis e 10 contrários, o texto principal da reforma trabalhista (PL 6787/16), na forma de substitutivo apresentado hoje pelo relator da comissão especial, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN).

Os integrantes da comissão especial vão votar ainda 25 destaques que retiram trechos do substitutivo. Os destaques não foram distribuídos ainda aos deputados.

O novo texto, apresentado pouco antes da reunião, mantém as principais medidas do substitutivo anterior, como a regulamentação do chamado trabalho intermitente, modalidade que permite que os trabalhadores sejam pagos por período trabalhado.

Além do trabalho intermitente, o projeto permite que a negociação entre empresas e trabalhadores prevaleça sobre a lei em pontos como parcelamento das férias em até três vezes, jornada de trabalho de até 12 horas diárias, plano de cargos e salários, banco de horas e trabalho em casa.

Também retira a exigência de os sindicatos homologarem a rescisão contratual no caso de demissão e torna a contribuição sindical optativa.

Marinho acatou emendas que faziam alterações pontuais na proposta. Ele concordou, por exemplo, em retirar categorias disciplinadas por legislação específica da lista de trabalhadores que podem ser contratados por meio de contratos de trabalho intermitentes – como aeroviários.

Ele também alterou o substitutivo para proibir que um empregado seja demitido da empresa e volte a prestar serviço para esta mesma empresa na condição de empregado de empresa terceirizada.

A reunião começou às 11h30.

OS PRINCIPAIS PONTOS DA PROPOSTA:

Negociação
Negociação entre empresas e trabalhadores vai prevalecer sobre a lei para pontos como: parcelamento das férias em até três vezes; jornada de trabalho, com limitação de 12 horas diárias e 220 horas mensais; participação nos lucros e resultados; jornada em deslocamento; intervalo entre jornadas (limite mínimo de 30 minutos); extensão de acordo coletivo após a expiração; e entrada no Programa de Seguro-Emprego; plano de cargos e salários; banco de horas, garantido o acréscimo de 50% na hora extra; remuneração por produtividade; trabalho remoto; registro de ponto.

Fora da negociação
As negociações entre patrões e empregados não podem tratar de FGTS, 13º salário, seguro-desemprego e salário-família (benefícios previdenciários), remuneração da hora de 50% acima da hora normal, licença-maternidade de 120 dias, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

Trabalho em casa
Regulamentação modalidades de trabalho por home office (trabalho em casa), que será acordado previamente com o patrão – inclusive o uso de equipamentos e gastos com energia e internet.

Representação
Representantes dos trabalhadores dentro das empresas não precisam mais ser sindicalizados. Sindicatos continuarão a atuando nos acordos e nas convenções coletivas.

Trabalho intermitente
Modalidade pela qual os trabalhadores são pagos por período trabalhado. É diferente do trabalho contínuo, que é pago levando em conta 30 dias trabalhados, em forma de salário. O projeto prevê que o trabalhador receba pela jornada ou diária, e, proporcionalmente, com férias, FGTS, previdência e 13º salário.

Jornada de 12 horas
O projeto estabelece a possibilidade de jornada de 12 de trabalho com 36 horas de descanso. Segundo o relator, a jornada 12x36 favorece o trabalhador, já que soma 176 horas de trabalho por mês, enquanto a jornada de 44 horas soma 196 horas.

Recisão contratual
O projeto de lei retira a exigência de a homologação da rescisão contratual ser feita em sindicatos. Ela passa a ser feita na própria empresa, na presença dos advogados do empregador e do funcionário – que pode ter assistência do sindicato. Segundo o relator, a medida agiliza o acesso do empregado a benefícios como o saque do FGTS

Ações trabalhistas
O trabalhador será obrigado a comparecer às audiências na Justiça do Trabalho e arcar com as custas do processo, caso perca a ação. Hoje o empregado pode faltar a até três audiências judiciais.

Terceirização
O projeto propõe salvaguardas para o trabalhador terceirizado, como uma quarentena de 18 meses para impedir que a empresa demita o trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado.

Contribuição sindical
A proposta torna a contribuição sindical optativa. Segundo o relator, a medida fortalece a estrutura sindical brasileira, ao reduzir o que considera um excessivo número de entidades representativas de empregados. Rogério Marinho argumenta que há no Brasil 11.326 sindicatos de trabalhadores e 5.186 sindicatos de empregadores. (Com informações da agência Câmara)

Como dizia o nosso saudoso Corrozin, garçom lá de Cajazeiras: "-Furaru o bloquêi!"

Mel B e o marido, Stephen Belafonte
Mel B diz que ex-marido e babá quebraram acordo ao deixá-la de fora de relações sexuais
F5.Folha 

A ex-Spice Girl Mel B está acusando o ex-marido, Stephen Belafonte, de manter relações sexuais com a babá dos filhos do casal. Mas a traição foi um tanto diferente: a cantora está indignada porque foi excluída dos encontros.

Segundo o portal americano "TMZ", Mel B e Belafonte contrataram Lorraine Gilles e a convenceram a participar de relações sexuais a três.
O acordo se manteve por sete anos, mas a ex-Spice Girl alega que Belafonte e Lorraine se encontraram diversas vezes sem o seu consentimento.

Fontes ainda disseram ao site que durante o casamento de dez anos, Belafonte convenceu Mel B a ter relações sexuais a três com diversas pessoas.

A cantora ainda acusa o ex-marido de ter engravidado a babá, que teria realizado um aborto.​

É o que acontece, quando acaba o dinheiros dos outros...

GUILHERME AMADO
O Globo

O lugar onde o PT está reunido desde cedo em Brasília para discutir propostas econômicas simboliza bem o momento por que passa o partido. Em vez dos grandes salões, com auditórios lotados e toda pompa, deputados, senadores e, logo mais, Lula estão numa salinha no terceiro subsolo de um centro de convenções da Capital Federal.
BRUNO VOLTARÁ PARA A PRISÃO
O Antagonista

A Primeira Turma do STF acaba de derrubar a liminar de Marco Aurélio Mello que soltou Bruno.

Luiz Fux também votou para que o goleiro volte para a cadeia: 3 a 1.

O ministro ressaltou a crueldade do crime cometido pelo condenado: "O corpo não foi encontrado".

"Não são fatos de mídia, não. São fatos gravíssimos", disse Fux. "Esse tipo de crime tem de ser punido de forma exemplar."
PNEUMOLOGISTA QUE CUIDAVA DE JOTA JÚNIOR EXPLICA A DOENÇA QUE O APRESENTADOR TINHA
Rammom Monte 
CorreioOnline

O pneumologista Ronaldo Rangel, que acompanhava o apresentador Jota Júnior no avião que o levaria para Porto Alegre, conversou com a reportagem do Correio Online e explicou a doença que o radialista tinha e o que o levou à morte. Jota Júnior morreu na madrugada desta segunda-feira (24) em um hospital na cidade de Belo Horizonte (MG). Segundo o médico, o ex-prefeito de Bayeux morreu por conta de uma parada cardíaca causada por causa da insuficiência respiratória. Ele disse ainda que o apresentador sofria de Bronquiectasia Bilateral.

A bronquiectasia consiste em uma dilatação nos brônquios, que provoca a dificuldade de oxigenação. Segundo o médico, uma infecção na infância pode ter sido a causa da doença em Jota Junior, que já enfrentava o problema por muitos anos, mas que se agravou nos últimos dois anos.

Ronaldo disse ainda que a doença, na gravidade em que Jota Júnior enfrentava, é considerada rara. Ainda segundo o médico, a viagem para Porto Alegre, onde ele iria passar por um transplante de pulmão, era considerada de risco, o que justificou ele ter ido em uma UTI aérea.

Complicações no voo
O pneumologista explicou que já estava prevista uma escala na cidade de Belo Horizonte, mas por conta de complicações apresentadas por Jota Júnior durante o voo até a capital mineira, o médico achou prudente desembarcar e levar o apresentado a um hospital da cidade. Ronaldo disse ainda que o radialista chegou a apresentar melhoras, mas durante a madrugada o quadro se agravou, acarretando na morte de Jota Junior.

Viagem da esperança
A morte de Jota Júnior aconteceu exatamente durante a viagem que o levaria para a cura de sua doença. O médico explicou que o apresentador estava indo para a capital gaúcha para realizar o transplante de pulmão que iria curá-lo da doença.

“Ele estava na fila do transplante há aproximadamente um ano. Primeiro ficou em Fortaleza e ia tentar em Porto Alegre agora. Chegando lá, ele já ia ficar internado. Esta seria a solução da doença dele”, finalizou.

Lula e Dilma investiram na Petrobras? Claro. E como investiram!

Ô se fizeram...
O Antagonista

Lindbergh acaba de dizer no seminário do PT sobre economia que os governos Lula e Dilma fizeram "uma política de investimentos na Petrobras".

Uma questão bem atual na reforma trabalhista....

Sugestão de Raymundo Figueiredo

Parece que Palocci ficou esperto. Fala tudo aí, Palocci. Lembre-se de Marcos Valério: foram quase 40 anos de cadeia!



Ô povo guloso!

LULA E PALOCCI DIVIDIAM PROPINA DA SETE BRASIL
O Antagonista

Lula e Antonio Palocci recebiam um terço da propina da Sete Brasil.

Foi o que disse o próprio Antonio Palocci em conversa com um advogado, segundo o Valor.

Diz a reportagem:

“Antonio Palocci disse que ele e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam sido os beneficiários de um terço de propinas pagas durante a criação e montagem da Sete Brasil, em 2010.

A declaração de Palocci ocorreu durante consulta a um advogado na quarta-feira da semana passada, na véspera de ser interrogado pelo juiz federal Sergio Moro (…).

Palocci consultou o criminalista para saber sobre a possibilidade de fechar acordo de delação premiada com a PGR”.

1/3, 1/3, 1/3

Um terço da propina da Sete Brasil ficava com Lula e Antonio Palocci.

Os outros dois terços, de acordo com o relato de Antonio Palocci a um advogado, reproduzido pelo Valor, eram distribuídos em partes iguais entre funcionários e operadores da Petrobras e executivos da própria Sete Brasil.

A reportagem diz que a versão de Antonio Palocci, repassada aos procuradores da Lava Jato, pode ser corroborada por Renato Duque, que também negocia um acordo de delação.

Os patos da Sete Brasil

Antonio Palocci, segundo o Valor, disse:

"Não vou pagar esse pato sozinho".

E mandou contar à Lava Jato que dividia com Lula a propina da Sete Brasil.
Trump e China fecham acordo contra ameaça nuclear norte-coreana
Líderes comprometeram-se a juntar esforços para combater o programa nuclear da Coreia do Norte
Veja.com
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu o presidente da China, Xi Jinping, na Flórida

Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping, concordaram em unir esforços para combater o programa nuclear da Coreia do Norte, informou comunicado divulgado nesta segunda-feira pela Casa Branca.

Em telefonema realizado na noite de domingo, o presidente dos Estados Unidos criticou a “beligerância contínua” da Coreia do Norte e disse que as ações de Pyongyang estão desestabilizando a península coreana.

Os dois líderes concordaram com a urgência da ameaça que o país representa e Xi Jinping afirmou que se opõe firmemente ao programa de armas nucleares da Coreia do Norte, que viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Jinping disse ainda que espera que a situação não se agrave.

O governo Trump advertiu que todas as opções, incluindo ataques militares, estão “sobre a mesa” para deter as ambições da Coreia do Norte de desenvolver um míssil nuclear que poderia chegar ao continente americano.

(com Reuters e AFP)

Exportando bala...

Facção paulista é suspeita de roubo de US$ 40 milhões no Paraguai
Tráfico de drogas na fronteira com o Paraguai reforça atuação do grupo
JULIANA ARREGUY E TIAGO DANTAS
O Globo
Assaltantes fazem ataque a empresa de valores em Ciudad del Este, no Paraguai 

Autoridades paraguaias suspeitam que a facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) está por trás do roubo de US$ 40 milhões da transportadora de valores Prosegur em Ciudad del Este, na fronteira com o Brasil. Na madrugada de segunda-feira, cerca de 50 assaltantes armados com fuzis e explosivos invadiram a empresa, que fica a quatro quilômetros da Ponte da Amizade, e levaram o equivalente a R$ 124,8 milhões no que está sendo considerado o maior roubo da História do Paraguai. Ao longo do dia, três suspeitos e um policial paraguaio foram mortos na fronteira entre os países. Ao menos dois homens foram presos. Policiais brasileiros localizaram carros, um barco, armamento pesado e malotes da Prosegur. Todos vazios.

Investigações feitas pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual de São Paulo nos últimos anos reforçam as suspeitas da polícia paraguaia sobre o envolvimento do crime organizado no assalto à Prosegur. A atuação da facção paulista no Paraguai ficou mais visível em junho de 2016, depois do assassinato de Jorge Rafaat Toumani, de 56 anos, em Pedro Juan Caballero, também na fronteira com o Brasil. Conhecido como “o rei do tráfico”, Rafaat foi alvo de uma emboscada no centro da cidade enquanto dirigia uma caminhonete blindada. A proteção não foi suficiente para parar os tiros de metralhadora calibre ponto 50, o mais potente disponível em armamentos individuais.

Após derrubar o “rei do tráfico”, os criminosos paulistas teriam assumido o controle do tráfico de drogas na região, segundo o MP. Para os investigadores, a disputa pela rota da Bolívia e Paraguai foi o estopim para a guerra com o Comando Vermelho (CV), que causou a morte de mais de cem presos em cadeias do Norte e Nordeste no início deste ano.

Após a morte do Rafaat, o PCC consolidou o monopólio do tráfico de drogas na região, que é muito mais estruturado e lucrativo do que as rotas do Norte do país — afirma o procurador do Ministério Público de São Paulo Márcio Sérgio Christino, responsável por investigar o crime organizado nos últimos anos. — A facção tem uma atividade principal: o tráfico de drogas. Mas o resto, a facção faz de acordo com a oportunidade: assaltos, sequestros.

Para Christino, o roubo da Prosegur no Paraguai tem as mesmas características que assaltos que ocorreram no interior de São Paulo e no Nordeste do Brasil nos últimos anos:

É o mesmo modus operandi: grande número de pessoas, uso de armamento pesado, que não tem parâmetro em qualquer polícia, talvez só no Exército, uma estratégia de cerco e fuga. Não é qualquer quadrilha que consegue fazer um mega-assalto como esse.

PREJUÍZOS DE R$ 135 MILHÕES
Policial revista carro encontrado com suspeitos do assalto à transportadora de valores no Paraguai

Ao investigar cinco roubos a transportadoras de valores que ocorreram em São Paulo em 2016, o Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic) identificou a presença da facção paulista em três casos, que, somados, causaram prejuízos de ao menos R$ 135 milhões. Onze pessoas foram presas após ataques à Prosegur, em Santos e em Ribeirão Preto, e à Protege, em Campinas.

No caso mais recente, em 5 julho do ano passado, assaltantes trocaram tiros com a polícia, incendiaram veículos e explodiram um transformador de energia antes de fugir com cerca de R$ 51 milhões da Prosegur de Ribeirão Preto. A polícia estima que cerca de 40 pessoas participaram da ação em Ribeirão Preto, divididas em 15 veículos. Um morador de rua e um dos suspeitos morreram no tiroteio. Oito pessoas foram denunciadas pelo crime, incluindo dois vigias que teriam fornecido informações privilegiadas à quadrilha. O roteiro se repetiu com pequenas mudanças nos demais crimes, segundo a investigação.

Durante coletiva de imprensa na tarde de segunda-feira, o delegado Fabiano Bordignon, chefe da Polícia Federal em Foz do Iguaçu, disse que policiais dos dois países vão continuar trabalhando para tentar encontrar outros suspeitos. Ele concordou que roubos como o da Prosegur precisam de planejamento grande e não pode ser feito por qualquer quadrilha.

A identidade dos suspeitos mortos e presos ontem após trocar tiros com a polícia brasileira em Itaipulândia, às margens do lago de Itaipu, não foi revelada. O ministro do Interior do Paraguai, Lorenzo Lezcano, também participou da entrevista e disse ter evidências de que a quadrilha era formada por brasileiros. Testemunhas do crime contaram à polícia paraguaia que os criminosos falavam português.

Ainda na segunda-feira, o ministro do Interior da Bolívia também mostrou preocupação com a atuação de criminosos brasileiros em assaltos a transportadoras de valores. Em março, um caminhão blindado da Brinks foi roubado no país e um brasileiro foi apontado como mandante.
Suspeito de roubar 40 milhões de dólares de banco no Paraguai é morto em troca de tiros em Itaipulândia, no Paraná 

A primeira página do jornal Correio da Paraíba


Na capa d'O Globo


As manchetes do jornal O Tempo


Os destaques do jornal Correio Braziliense


As manchetes de jornais brasileiros nesta terça-feira

Folha: João Santana afirma que Dilma sabia de Caixa 2 em 2014

Globo:  Marqueteiros do PT dizem que Dilma sabia de Caixa 2 

Extra: Prefeitura do Rio já cogita atrasar os salários dos servidores

Estadão: Maior assalto da história do Paraguai tem PCC e quatro mortes

ValorEconômico: Marqueteiros dizem que Dilma sabia de Caixa 2 da campanha

ZeroHora: Marqueteiros dizem ter tratado de Caixa 2 com Dilma em 2014

EstadodeMinas: Dilma sabia de Caixa 2 para a campanha de 2014, dizem marqueteiros

CorreioBraziliense: Políticos debocham do Brasil e tentam destruir a Lava-Jato

- ATarde: Dilma sabia de Caixa 2 em campanha, dizem Patinhas e Mônica

- DiáriodePernambucoParaguai: o assalto do século

DiáriodoNordeste: Grupo fará a transição de gestão no aeroporto

CorreiodaParaíba: Rodolfo é preso por morte de agente

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Jerry Adriani em Cajazeiras em 2015. Vejam as imagens.


Ícone da Jovem Guarda e uma das grandes vozes do Brasil, o cantor, ator e apresentador, Jerry Adriani, faleceu ontem à tarde no Rio Janeiro. Depois de trinta anos, ele retornou a Cajazeiras no ano de 2015 para fazer o seu show que comemorava os 50 anos de carreira. Esses registros foram no Campestre Clube de Cajazeiras. 

Apesar da minha idade, tenho Jerry como ídolo. Tive o prazer de conhecer pessoalmente e conversar bastante. Baita artista, gentil e atencioso. Descanse em paz guerreiro, sua passagem, voz e canções estão marcadas.