sábado, 25 de março de 2017

Os petistas que hoje criticam a terceirização aprovaram a terceirização de médicos via regime de escravidão
CeticismoPolítico
Nada como um dia após o outro. Depois do chorume petista quanto à aprovação da regulação da terceirização no Congresso, Rafael Rizzo escreveu:

É um absurdo a terceirização irrestrita.
Até médicos poderão ser terceirizados.
Igual no programa Mais médicos.

Pois é, Rizzo, muito bem lembrado. Os petistas estão criando esse teatrinho para fingirem que estão incomodados com a regulação da terceirização, aprovada no Congresso nesta quarta (22).

Porém, estes mesmos petistas aprovaram a terceirização de uma atividade-fim, a de serviços médicos. Não só isso: os petistas contrataram médicos terceirizados diretamente com Cuba em um regime de escravidão, já que eles vieram para o Brasil enquanto suas famílias foram colocadas como reféns em Cuba.

Um completo retrocesso civilizacional, não tanto pela terceirização, mas principalmente pelo regime de escravidão. Pelo menos isso serve para mostrar que, como sempre, os petistas não acreditam em uma palavra que emitem.

Quem defendeu terceirização para contratar escravos não tem moral para reclamar de uma terceirização regulada por lei, como deveria ocorrer em todos os países civilizados. Novamente, petismo e psicopatia andam de mãos dadas.

Sabe a terceirização que, hoje, o PT diz que não quer? Pois é. Terceirização no c* dos outros é refresco...

Merecidamente.

Narrador argentino enlouquece com o golaço de Neymar; assista
Craque brasileiro recebeu rasgados elogios da imprensa estrangeira após goleada por 4 a 1 sobre o Uruguai, em Montevidéu
Veja.com
Neymar comemora após marcar o terceiro gol do Brasil sobre o Uruguai

A imprensa esportiva estrangeira deu grande destaque para a goleada por 4 a 1 da seleção brasileira diante do Uruguai, em Montevidéu. Paulinho, Neymar e Tite ganharam as manchetes de grandes jornais, como o italiano La Gazzetta Dello Sport, o francês L’Equipe e o espanhol Marca. E até mesmo os jornalistas argentinos, geralmente muito críticos em relação ao futebol brasileiro, se renderam à boa fase da equipe pentacampeã, que venceu as últimas sete partidas das eliminatórias.

O sempre ácido diário Olé destacou a “sétima maravilha” do Brasil, em referência à sétima vitória consecutiva da equipe nas eliminatórias sobre o comando de Tite (seria também uma referência velada ao 7 a 1 alemão de 2014?). Já os jornalistas da emissora Torneos Y Competencias (TYC Sports) se derreteram por Neymar após o golaço de cobertura do brasileiro.
“Aí vem Neymar, sim, o liquida…sim, sim, sim….que golaço, Neymar, por favor, senhores, de pé…Gooooool….Golaço do Brasil, estupendo, sensacional, extraordinária definição do melhor, do 10, de Neymar”, exclamou o narrador Julian Bricco. “Desfrutemos, demos risada, hoje somos neutros. É preciso ver como esse 10 é uma maravilha, como desfruta em campo, como faz os rivais passarem mal”, completou o comentarista Esteban Edul. Abaixo, a narração do gol “classe A” de Neymar:

O canal TyC Sports ainda reuniu os melhores momentos de Neymar no jogo e seus comentaristas definiram sua atuação como digna de um “Bola de Ouro”. Um dos principais jornalistas da Argentina, o ex-jogador Diego Latorre também rasgou elogios a Neymar e o colocou à frente de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. “Neymar é o mais parecido ao melhor jogador do mundo”, tuitou Latorre.
Neymar es lo más parecido al mejor jugador del mundo.
Jogadores do Brasil antes do início da partida contra o Uruguai, pela eliminatórias da Copa da Russia de 2018, em Montevidéu 
Neymar comemora após marcar o terceiro gol do Brasil sobre o Uruguai

Me responde, por obséquio: vocês já entregaram propina num lugar chamado 'As Mangueiras de Lília', da mulher que ensinou Cajazeiras a amar?

Propina era limitada em R$ 500 mil para caber em mochila
Hilberto Mascarenhas disse ao TSE que dinheiro era entregue até em ‘cabaré’
O Globo
O ex-executivo da Odebrecht Hilberto Mascarenhas, apontado como responsável pelo Departamento da Propina 

Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-diretor da Odebrecht Hilberto Mascarenhas contou que o valor máximo do pagamento de propina em dinheiro a políticos e intermediários era R$ 500 mil, pois a quantia era o volume máximo para caber dentro de uma mochila e não levantar suspeitas.
“Se eu tenho um pagamento de R$ 2 milhões, isso é uma mala. Ninguém pode estar transitando na rua com uma mala com R$ 2 milhões. Então, existiam também regras como, por exemplo, o valor máximo a ser pago era de R$ 500 mil, que cabia dentro de uma mochila”, declarou o ex-dirigente da Odebrecht. “Se você tinha R$ 2 milhões a receber, você ia receber quatro vezes 500 (mil). E aí tinha que ser combinado alguma coisa. Mas nem sempre, ministro, com o interessado final. Às vezes, tinha muito preposto”, explicou.

Hilberto prestou depoimento ao TSE, em março, como testemunha nas ações que tramitam no tribunal pedindo a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer por suposto abuso de poder político e econômico na eleição presidencial de 2014. Ele era o responsável pelo Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, setor que ficou conhecido como departamento de propina.

Durante o depoimento, Hilberto também relatou que as entregas de dinheiro em espécie para políticos aconteciam em “lugares absurdos” e até “cabaré”. Questionado por um juiz do TSE sobre como eram feitos os pagamentos ao marqueteiro João Santana e à mulher dele, Mônica Moura, Hilberto respondeu:

“Se fossem valores pequenos encontravam num bar, em todos os lugares. Você não tem ideia dos lugares mais absurdos que se encontra, no cabaré..."

Para repassar os montantes maiores, no entanto, Hilberto esclareceu que Mônica ou um representante dela se hospedava em um hotel onde se encontravam com um intermediário contratado pela Odebrecht que fazia a entrega, mas que não era ligado diretamente à empresa.

"Então, você se hospedava no hotel e de noite ele visitava o quarto do interessado, entregava e ia embora, para poder ter mais segurança se fossem valores maiores", contou o delator.

Na capa do jornal Diário do Nordeste


No jornal Lance: Richarlison na boa


As manchetes do jornal Folha de São Paulo


Os destaques do jornal Correio da Paraíba


sexta-feira, 24 de março de 2017

É sexta-feira? O conselho de Marcos Diniz é: sacou o FGTS inativo? Abrace a alegria!


Clayton Moto no viés amoroso...Parabéns, Carol.


Hoje é o dia da minha companheira de vida, a mulher que me tolera, e que esteve ao meu lado em uma das épocas mais difíceis da minha vida. Dizem que se existisse um CLAYTON MOTA mulher,  tipo uma Cleide Mota, seria igual a dona Carolzinha, pois é boba igual, pessoa especial mesmo, amiga dos amigos, xodó da familia, ótima mãe, ótima esposa, uma pessoa especial pela qual tenho orgulho de estar ao lado.

Parabéns amorzita, seja muito feliz.

O tamanho do pinto é importante? É não! Veja a prova no vídeo.

video

Jornal argentino chama Neymar de ‘a sétima maravilha’ após atuação pelo Brasil
Extra
Neymar foi elogiado pelos jornais da Argentina 

A grande atuação de Neymar na vitória do Brasil por 4 a 1 sobre o Uruguai, com direito a golaço, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018, rendeu elogios da imprensa argentina. O jornal Olé afirmou que o jogador do Barcelona é a “sétima maravilha do mundo” na reportagem feita sobre o duelo da seleção brasileira contra os uruguaios.

“Sem dúvidas, é a melhor seleção Sul-Americana do momento. O Brasil está a um passo de sentenciar a sua classificação ao Mundial depois de golear o Uruguai no Centenário: foi um 4 a 1 elaborado através da força e dos luxos de Neymar. O craque do Barcelona foi de tirar o chapéu. Literalmente: fez o 3 a 1 para definir com uma classe impressionante sobre Martín Silva. Até mesmo os charruas queriam aplaudi-lo. Além disso, Neymar passeou várias vezes pelos marcadores, que tiveram que recorrer de forma repetida a faltas para pará-lo, com o risco de gerar lances de tiros livres”, descreve o jornal.
Jornal Olé elogia Neymar 

O “La Nación” disse que “Com um Neymar superlativo em Montevidéu, o Brasil fica perto do Mundial da Rússia”. A publicação respondeu às perguntas “como marcá-lo?” e “como neutralizar Neymar?” com uma resposta simples: “durmam em seu pé”.

“Com um zigue-zague desconcertante, entrega passes precisos por áreas menos esperadas, chuta forte e sem tomar impulso. O Uruguai inteiro cruzava os dedos quando Neymar tinha a bola. Paulinho teve a noite sonhada, mas o seu protagonismo só foi completo porque uma estrela como Neymar supera qualquer um”, disse o jornal.

Já o “Clarín” descreveu o camisa 10 como "arisco". “O ex-santista comandava cada ataque do time visitante como critério e habilidade. Se havia alguém que merecia marcar um gol na noite do Centenário era ele”, afirmou a publicação.

O futuro-próximo do 'politicamente correto'...Vejam o vídeo.

É como diz Milton Nascimento, na música: "Todo artista tem de ir aonde o povo está"

Executivo da Odebrecht pagou propina até em cabaré
O Antagonista

Hilberto Mascarenhas, chefe do setor de operações estruturadas da Odebrecht, explicou os métodos para pagamento de propina a políticos.

No exterior, eram depósitos em contas offshore. No Brasil, entregas de dinheiro vivo, em mochilas com no máximo R$ 500 mil, para não chamar a atenção. Os locais? hotéis, bares, restaurantes e até cabarés.

"Se fossem valores pequenos, encontravam num bar, em todos os lugares. Você não tem ideia dos mais lugares absurdos se encontra (sic), no cabaré... Ele encontrava a pessoa, o preposto, ia lá e pegava."

O Brasil é um imenso cabaré.


Guilherme Wanderley Lopes da Silva, de 44 anos, é procurado pela polícia (Foto: MP/Divulgação)
Procurador-geral adjunto do RN e promotor são baleados em Natal
Disparos foram feitos nesta sexta (24) dentro da sede do Ministério Público. 
Jovino Pereira Sobrinho e Wendell Beetoven foram socorridos.
Anderson Barbosa e Fred Carvalho
Do G1 RN

O procurador-geral adjunto do Rio Grande do Norte Jovino Pereira Sobrinho e o promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro Agra foram baleados na manhã desta sexta-feira (24) dentro da sede do Ministério Público do Estado. Ambos foram socorridos. Ninguém foi preso.

De acordo com a Polícia Militar, o atirador é o servidor Guilherme Wanderley Lopes da Silva, de 44 anos, que invadiu uma reunião no segundo andar do prédio e efetuou os disparos.

O fato aconteceu por volta das 11h30. Logo em seguida, o suspeito fugiu em um automóvel Polo de cor prata. A sede do Ministério Público fica no bairro de Candelária, Zona Sul de Natal.

Nem o Ministério Público nem a Polícia Militar sabem explicar o que teria motivado o atentado.

O promotor Wendell Beetoven, que durante muitos anos atuou na Promotoria de Investigação Criminal e Combate ao Controle Externo da Atividade Policial, atualmente estava lotado no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
Ambulâncias do SAMU foi chamada para socorridos os feridos (Foto: Fred Carvalho/G1)

Feridos
Segundo o MP, o procurador adjunto, que foi atingido duas vezes no abdômen, foi levado para o Pronto-Socorro Clóvis Sarinho. Ele já deu entrada no Centro Cirúrgico. Já o promotor Wendell Beetoven, que foi baleado nas costas, recebeu os primeiros atendimentos ainda no local, mas também já foi levado para o hospital.

Na fuga, o suspeito também efetuou disparos no estacionamento. Pelo menos cinco tiros foram ouvidos, mas não houve novos feridos. A PM fez buscas pela região, mas não encontrou o servidor.

Investigação
Delegado do 5º Distrito Policial, René Lopes disse ao G1 que vai iniciar as investigações ouvindo testemunhas. “O local foi preservado e a equipe do Itep (Instituto Técnico-Científico de Polícia) vai trabalhar no local”, relatou. Ainda de acordo com o delegado, o servidor usou um revólver, mas ainda não há informações se ele teria porte ou posse de arma de fogo.
PMs e seguranças do MP fazem buscas pelo servidor, que fugiu após os disparos 
REFLEXÕES TRABALHISTAS
O que muda com o projeto de lei sobre trabalho temporário e terceirização

Conjur

Dentre as notícias trabalhistas que estão tomando conta das preocupações de todos está a recente aprovação do Projeto de Lei 4.302, de 1998, do Poder Executivo. Este projeto se caracteriza pelo tratamento, em um só texto, de trabalho temporário e da prestação de serviços a terceiros.

O projeto, na sua origem, preserva os conceitos da natureza jurídica de trabalho temporário na forma da Lei 6.019/1974 e estende o prazo de três para seis meses relativamente à possibilidade de permanência de um mesmo trabalhador na execução de trabalho de natureza temporária. Portanto, mantém a previsão anterior de que o prazo do contrato está vinculado ao tempo de execução do trabalho e não, como equivocadamente se pratica, de inserir na contratação de trabalhadores o prazo da execução do trabalho.

A ampliação do prazo já se pratica perante o Ministério do Trabalho, por meio de justificativa da empresa fornecedora de mão-de-obra. Dadas as condições em que ocorre a necessidade da contratação de fornecimento de mão de obra temporária, seria dispensável a previsão legal de que o trabalho temporário poderá ocorrer em atividade fim e atividade meio.

Entretanto, como o tema pode sugerir interpretações contrárias ao modelo jurídico especialíssimo e excepcional, melhor esclarecer do que deixar livre o solto, ainda mais em momento de avanços conceituais em torno da subordinação.

O trabalhador inserido nesta relação jurídica de trabalho não mantém condição jurídica de empregado, mas recebe direitos trabalhistas semelhantes àqueles atribuídos ao trabalhador com vínculo de emprego. Por esta razão não se confunde com contrato a termo e não há reconhecimento de garantia provisória de emprego, conforme decidiu o Tribunal Superior do Trabalho (RR-1163-28c.2014.5.09.0655).

O outro aspecto do projeto de lei aprovado faz referência às empresas prestadoras de serviços, regulamentando a forma pela qual poderia ocorrer a prestação de serviços especializados. Neste sentido, não se distingue entre a atividade fim e atividade meio que, no nosso sentir podem conviver desde que não seja utilizada a prestação de serviços como forma de exclusão de direitos e desde que não submeta o empregado da empresa prestadora de serviços à condição de subordinado pessoalmente ao tomador. Não se trata, com a aprovação do projeto de lei, de transformar os atuais empregados em pessoas jurídicas.

Terceirização pressupõe especialização nos serviços e autonomia na sua execução. A diferença fundamental entre o regime jurídico do trabalho temporário e a prestação de serviços é que no primeiro caso há cessão de mão de obra e, no segundo, o objeto é a prestação de serviços especializados a cargo e responsabilidade da empresa prestadora.

Todavia, em épocas de crise, falar em legalização da terceirização como necessária a fim de alavancar o desenvolvimento econômico tende ao aguçamento de radicalizações dos prós e contras.

A terceirização sempre envolve três aspectos relevantes: (i) o risco da relação jurídica; (ii) o conteúdo da relação jurídica; e, (iii) os direitos atribuídos aos empregados da empresa prestadora de serviços.

A questão da relação jurídica quanto ao risco está resolvida porque a tomadora de serviços será sempre responsável subsidiária pelos direitos não satisfeitos pela prestadora, mantendo a orientação da jurisprudência do TST.

O conteúdo da relação jurídica parece também já ter sido resolvido pela Súmula 331 do TST, impedindo que a terceirização sirva como forma de marchandage, ou seja, não poderá o trabalhador vinculado formalmente à empresa prestadora de serviços permanecer subordinado às ordens do tomador de serviços.

Finalmente, quanto aos direitos a serem atribuídos aos empregados de empresa prestadora de serviços terceirizados, não podem ser inferiores àqueles que já são reconhecidos pela lei acrescidos daqueles direitos decorrentes de negociações coletivas.

O que preocupa os sindicatos, organizados no modelo de categorias profissionais, ao que parece, é, de um lado, o deslocamento de trabalhadores para categorias diversas da preponderante e com isto ter prejudicado a receita sindical e, de outro lado, a mudança de negociações coletivas previstas na Reforma Trabalhista encaminhado em final de 2016 e que ainda está em andamento e que sugere negociações no âmbito das empresas com representante eleito pelos trabalhadores, deslocando as reivindicações e controvérsias para o ambiente da empresa e, desta forma, beneficiando todos os trabalhadores, sem distinção de categorias, com fortalecimento dos grupos nos locais de trabalho.

Enfim, na essência, o projeto de lei aprovado não traz grandes alterações porque preserva a proteção da relação de emprego e os desvios fraudulentos e ilícitos, quando constatados, serão coibidos.

Paulo Sergio João é advogado e professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e da Fundação Getulio Vargas.
Como as mudanças na terceirização mexem na sua vida
Enquanto empresas comemoraram a aprovação de novas regras para terceirização e emprego temporário, trabalhadores temem perder direitos. Especialistas apontam que não há motivo para alarde e que empregados seguem amparados pela CLT
OPovo
Aguardando sanção do presidente Michel Temer, as mudanças na terceirização e no trabalho temporário (PL 4.302) representam, para empresários, flexibilização das leis trabalhistas, maior produtividade e menos custos com encargos. Mas, para o trabalhador, sobram dúvidas: virarei um terceirizado? Ganharei menos? Como ficam férias, licenças e outros direitos trabalhistas? Os concursos no setor público vão acabar?

Não há uma resposta pronta para estas perguntas. Tudo depende de reações que somente serão conhecidas com a lei em prática. Mas especialistas em mercado de trabalho apontam que não há motivo para alardes.

A matéria aprovada libera terceirização para as atividades-fim, que são aquelas que representam o principal negócio de uma companhia, e mexem nas regras para trabalho temporário. Mas a matéria ainda pode ser modificada por meio do Projeto de Lei Complementar (PLC) 30/2015, proposta mais atualizada que também visa a regulamentar o trabalho terceirizado e está em fase de debate nas comissões no Senado.
Lívio Giosa, presidente-executivo da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) e presidente do Centro Nacional de Modernização Empresarial (Cenam), frisa que a lei da terceirização vem para dirimir e equalizar interpretações da lei trabalhista que não eram claras e causavam insegurança jurídica para empregador e empregado.

Ele afirma que os direitos trabalhistas se mantêm, já que empresas de terceirização possuem empregados regidos pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e precisam cumprir obrigações de férias, abonos, licenças, horas extras. No caso da terceirizada não pagar o trabalhador, o projeto diz que a empresa contratante será responsável pelos encargos e deve dar toda a segurança ao terceirizado.

Para André Menescal, sócio da Nelson Wilians & Advogados Associados, é mito dizer que os direitos trabalhistas serão suprimidos com a aprovação da lei. “Existe, na terceirização, um discurso muito forte dos movimentos sociais de querer apontar a possibilidade de terceirização como revogação de direitos. A CLT não foi revogada e continua em vigor”.

Em suma, no texto que aguarda sanção, há previsão expressa da responsabilidade subsidiária da tomadora de serviços, conforme dispõe o parágrafo 7º do artigo 10º, confirmando o anterior entendimento da súmula 331, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que agora ganha previsão legal. Ou seja, de todo modo o trabalhador terá que ser empregado de uma empresa para que seja terceirizado por outra. Portanto, Daniel Fontenele, advogado especialista em direito do trabalho e sócio do Loiola - Carvalho e Santos Advogados, explica que o vínculo empregatício ainda será regido pela CLT.

Como ferramenta de gestão, a terceirização pode ser usada ou não. É uma questão de relação interna da empresa. “O Brasil é o único do mundo que tem lei de terceirização. Mas na prática isso já existe no mundo. A Nike terceirizou tudo, menos a gestão da marca. É só uma decisão empresarial que não é a mesma da Adidas”, afirma Lívio.

ConcursosVictor Ribeiro, especialista em concursos públicos e criador do Estratégias de Aprovação, diz que a redação do projeto abre margem para terceirização no setor público. Mas afirma que um órgão de Governo, por exemplo, não vai querer terceirizar qualquer atividade. “Uma pessoa terceirizada normalmente tem baixa capacitação. A terceirizadora cuida da capacitação de uma semana. No mundo inteiro é assim e daria muito trabalho contratar alguém sem capacitação específica”. Portanto, para ele, não haverá impacto no quantitativo de concursos públicos por pelo menos dois anos. 

“Além disso, há obrigatoriedade de concurso público presente na Constituição Federal (CF). Isso (projeto de lei) é uma mera lei ordinária. A CF está muito acima. Os concursos não vão acabar”, frisa.

Foi um pixulecão!

Josias de Souza
As revelações feitas por Marcelo Odebrecht à força-tarefa da Lava Jato, repetidas em depoimento à Justiça Eleitoral, retiraram de Dilma Rousseff o último patrimônio político que ela imaginava ostentar: a presunção de superioridade moral. Ela já havia perdido a pureza ideológica ao encabeçar coligações eleitorais que incluíam do arcaico ao medieval. Perdera a aura de gerentona e a poltrona de presidente da República após reduzir a economia nacional a escombros. Agora, é submetida a um ritual de emporcalhamento que aniquila o que lhe restava de individualidade, integrando-a à baixeza geral. Foi para o beleléu a diferença heroica.

Em síntese, o príncipe das empreiteiras contou: 1) Dilma sabia que João Santana, seu marqueteiro, era remunerado pela Odebrecht no caixa dois. 2) Madame sabia também que Antonio ‘Italiano’ Palocci e Guido 'Pós-Italiano' Mantega faziam dupla jornada como ministros e coletores de fundos para suas campanhas presidenciais. 3) Reeleita, a soberana foi informada pelo próprio empreiteiro de que as contas abertas no estrangeiro para pagar o marketing do seu comitê estavam ao alcance dos investigadores da Lava Jato.

Em nota de sua assessoria, Dilma tachou os segredos de Marcelo Odebrecht de “novas mentiras”. Ainda não se deu conta de que suas verdades é que estão se transformando numa espécie de latifúndio improdutivo que os delatores da Odebrecht invadem. A nota sustenta que Dilma “jamais pediu recursos para campanha” a Marcelo Odebrecht. Tampouco “solicitou dinheiro para o Partido dos Trabalhadores”. Ora, mas o delator disse exatamente a mesma coisa.

Dilma não precisou pedir nada. Tinha quem solicitasse em seu nome. “[…] Quem pediu os valores específicos era o Guido, eu me assegurava que ela [Dilma] sabia mais ou menos da dimensão do nosso apoio”, contou Odebrecht ao TSE, falando num idioma parecido com o português. “Ela dizia que o Guido ia me procurar, mas eu nunca falei de valor. A liturgia, a questão de educação, você não fala com o presidente ou o vice-presidente a questão do valor.”

Em 2010, contou Odebrecht, Dilma não teve que se preocupar com as arcas da campanha. Lula, o “amigo” da Odebrecht, se encarregou de tudo, com o luxuoso auxílio do grão-petista Antonio Palocci. Dilma “praticamente nem olhou as finanças, acho que todos os pedidos de doação foram feitos por Lula, Palocci. Ela nem se envolvia em 2010”, esmiuçou o empreiteiro.

Dilma soube do que se passava na bilheteria porque Lula se encarregou de informar, contou Marcelo Odebrecht. As verdades de Dilma sobre questões relacionadas à tesouraria foram, por assim dizer, herdadas de Lula. O tamanho dessas verdades vem sendo questionado desde o mensalão. Sempre que a conjuntura exigiu garantias, verificou-se que, além de improdutivas, as verdades do petismo estavam assentadas sobre um gigantesco brejo.

De repente, Dilma descobre que não é a dona da verdade. Bem ao contrário. A colaboração judicial da Odebrecht transformou-a numa sem-verdade. Parte das informações do empreiteiro já haviam sido descobertas pelos investigadores. A Lava Jato apalpou os extratos da conta de João Santana na Suíça antes que o herdeiro da construtora cogitasse suar o dedo. Não é razoável supor que Dilma, centralizadora a mais não poder, estivesse alheia ao melado que escorria nos porões do seu comitê.

Considerando-se que uma ex-guerrilheira jamais cogitaria a hipótese de se tornar uma delatora, restam a Dilma duas escassas alternativas: ou aceita sua parcela de culpa ou funda o MSV (Movimento dos Sem-Verdade), assumindo a liderança da cruzada nacional por uma reforma semântica que devolva algum sentido a quem já não tem nenhum.

"A viva alma mais honesta do Brasil'...

CláudioHumberto

As revelações de Marcelo Odebrecht sobre a corrupção nos governos do PT colocam de vez os ex-presidentes Lula e Dilma na chamada “cena do crime”, no esquema desmantelado pela Lava Jato. Ainda no cargo de presidente da República, Lula se encarregou pessoalmente de arrecadar dinheiro, inclusive no caixa 2, para a campanha de eleição de Dilma. As revelações de Odebrecht retomam a expectativa da prisão de Lula. Afinal, não há em Curitiba acusado de crimes mais graves.

Odebrecht contou ao Tribunal Superior Eleitoral, que Lula gerenciava a “conta corrente” de R$150 milhões aberta pela empreiteira para o PT.

As revelações de Odebrecht explicam o desespero de Dilma para nomear um ministro do STJ que o soltasse, segundo denúncia do MPF.

A Lava Jato será resumida, no futuro, como o escândalo em que dois presidentes da República trataram pessoalmente de dinheiro sujo.

As revelações de Odebrecht mostram como foi preciosa sua delação premiada para esclarecer e incriminar a quadrilha que governou o País.

Na capa d'O Globo


No jornal Lance: o Brasil fez um grande jogo


Na capa d'O Povo


As manchetes do jornal Folha de São Paulo


As manchetes de jornais brasileiros nesta sexta-feira

Folha: Dilma sabia de Caixa 2, afirma Marcelo Odebrecht

Globo:  Odebrecht comprou tempo de TV do PC do B, PROS e PRB para Dilma. Ela sabia de Caixa 2

ODia: Veja o que a terceirização muda para o trabalhador

Estadão: Marcelo Odebrecht diz ao TSE que 'inventou' capanha de Dilma em 2914. A petista sabia do pagamento de despesas com Caixa 2

ValorEconômico: Dilma sabia de Caixa 2, afirma Marcelo Odebrecht

ZeroHora: Brasil 4 x 1 Uruguai: show no Centenário

EstadodeMinas: Marcelo Odebrecht diz que Dilma sabia das doações por meio de Caixa 2

CorreioBraziliense: Previdência: Policiais civis do DF em situação incerta

- CorreiodaBahia: O que muda na vida do trabalhador

- DiáriodePernambuco: Terceirização: Senado vai votar projeto mais 'brando'

OPovo: Como a lei da terceirização impacta sua vida

CorreiodaParaíba: Bandeira tarifária na Transposição

quinta-feira, 23 de março de 2017

Um bolero especial! Fui apresentado a Bienvenido Granda por meu irmão, Deusimar Galvão. Vai pra ele. Por isso e muito mais.

video

Hoje dia de parabenizar o nosso Leo Holanda, filho do meu amigo Rafael Holanda.

O maior amor do mundo.

“Hoje é o dia de homenagear quem, quando nasceu, eu crucifiquei. Hoje é o dia de homenagear aquele cujos pregos eu tirei. Hoje é o dia de homenagear aquele cujos pés eu beijei.” 
Rafael Holanda.

Hoje (23\03\2017) meu filho, portador de necessidade especial, completa 32 anos. Este jovem que me ensinou sem emitir palavras que os versos da vida são compostos com a simplicidade das nossas ações. 

Vitimado pela insegurança, e pelo não reconhecimento do arrependimento, tornei-me joguete da nostalgia e depressão, perdendo a liberdade de crer, face ao estado sombrio em que me envolvi.

Esqueci que era meu filho, e busquei por estranho caminho, a oração de despedida por torcer que uma patologia de bom grado o levasse.

Os seus olhos de encontro aos meus, mostrava de forma carinhosa o poder maior de Deus de saber perdoar e compreender a sua chegada, e a cada instante ele me perdoava. Eu não buscava enxergar, porque meu ódio era maior que qualquer momento de paz ou fé, do que qualquer momento de amor.

Após o primeiro ano, senti em meu coração que meu filho era a jóia mais preciosa que entrou em minha casa, e que o ourives por mais especialista, não conseguia reproduzir ou lapidar, em forma de santo a beleza do meu especial.

Meu filho se tornou a mais preciosa de todas as pedras que nenhum ourives teria a capacidade de reproduzir, meu filho é a mais bela canção de amor que o próprio silêncio faz questão de ouvir.

Meu filho representa a soma de todos os amores, assim como o branco é a soma de todas as cores, se tornou milagre porque me fez sentir dentro do peito o desejo de seguir adiante.

Meu filho é a coberta estrelada que acalma os momentos de minha solidão, o seu sorriso espelha de forma constante a representação de uma visita de um santo.

Ele é a paz que gosto de ter, a terapêutica sem efeitos colaterais, o maestro dos meus versos que se transformam em canções para vencer as tempestades do cotidiano.

Ele simboliza o que existe de melhor a cada momento, sem emitir palavras nos ensina orações mais fortes do que muitas orações, pelo seu jeito sincero de ser.

Passei a crê que nosso filho era como uma árvore de madeira nobre numa floresta; uma árvore que talvez não crescesse tão rápido quanto às outras árvores, mas com certeza produzia em seu amor uma madeira extremamente valiosa.

Hoje meu filho é feliz por nos mostrar a felicidade; embora consiga realizar menos coisas e viva num mundo menor do que as minhas filhas saudáveis, ele com certeza é mais feliz em sua cabana do que as filhas em seu castelo.

Meu filho exala o hálito de amor, pois com sua simplicidade nos trouxe harmonia, nos mostrou que as alegrias são para serem cantadas, as lágrimas devem ser guardadas, as cruzes por mais pesadas devem ser levadas, e a estrada que caminhamos têm o seu poder de força.

Bendito seja o momento em que o meu coração sentiu e permitiu que eu pudesse curtir as minhas esperanças, para que pudesse reconhecer que nem sempre os erros da formação espelham cruzes pesadas que não possamos carregar.

Meu filho é belo, é amor sobre forma imbatível, pois muitos têm os seus, e perdem no caminho da dor por acidente ou drogas, perdem por desejos maléficos que o mundo por maldade faz questão de ensinar, após o portão. 

Meu filho transmite a paz nas minhas batalhas diárias, rejuvenesce o dia de minha intensa incerteza, me faz sonhar acordado e ter a verdadeira virtude de viver feliz.

Meu filho trás a confiabilidade da cada momento me faz compreender que a pequena cruz que cruzou o nosso caminho, não pesa nem um pouco com relação a sofrimentos de tantos.
Parabéns nosso Léo, que por suas ações de cada dia continue nos mostrando que a felicidade às vezes não necessita de camisa ou trajes a rigor, mas a fantástica ação do amor.
Rafael Holanda.

Do blog 'Me engana que eu posto' (a verdade por trás de manchetes falsas que se espalham pea internet).

Advogado não se matou no Congresso em protesto contra Temer
Notícia falsa diz que Adriano Navas, de 42 anos, protestava contra o presidente e a reforma da Previdência ao se jogar do 19º andar de prédio da Câmara
João Pedroso de Campos
Veja.com
Advogado morre ao cair do 19º andar do prédio do Congresso Nacional (Ricardo Botelho/Folhapress)

Os criadores de notícias falsas que circulam no submundo da internet nutrem o abominável costume de usar mortes como motes para suas lorotas. Foi assim quando a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva morreu, por exemplo, e assim tem sido nos últimos dias, após a morte do advogado Adriano de Rezende Naves, de 42 anos.

Naves morreu na sexta-feira passada, depois de cair do 19º andar do prédio da Câmara no Congresso Nacional, em Brasília. O trágico caso – que, ao que tudo indica, foi suicídio, de acordo com a Polícia Civil – motivou a manchete “Advogado se suicida no Congresso Nacional em protesto contra Temer”, propagada por sites como o Saúde Vida e Família, notório pela falta de credibilidade, e o Blasting News.

Depois de ponderar cinicamente que “preferimos não mencionar o nome em respeito a um pedido da família”, o texto inventa sem pudores:

“A polícia não disse se o advogado teria mesmo pulado ou se foi assassinado. No entanto, segundo relatos de testemunhas, que fizeram vídeos nas redes sociais, o homem teria feito um protesto contra o atual presidente da república, Michel Temer, do PMDB, além da reforma da previdência”.
As “testemunhas” citadas pela notícia falsa, contudo, foram inventadas. O delegado Rogério Rezende, da Polícia Civil do Distrito Federal, responsável pela investigação da morte de Naves, disse ao blog que “não existe testemunha de fato algum, as únicas testemunhas são as que acharam o corpo caído no espelho d’água [do Congresso]”.

“O que pode, talvez, ter um pouco de fundo político, é que ele estava desacreditado do país. Ele era inteligente, advogado de alto nível e estava triste com a situação econômica. Mas nada de Michel Temer, nem Dilma, nem nada”, relata o delegado.

De acordo com Rezende, a tese mais provável é mesmo a de que o advogado se suicidou, versão que poderá ser confirmada nos próximos dias, quando o Instituto de Criminalística emitir um laudo.

“Já ouvimos familiares, que disseram que ele apresentava quadro depressivo. Tomava remédios controlados e tinha suspendido a medicação por conta própria”, diz.

A Câmara dos Deputados afirma que Adriano de Rezende Naves não era funcionário da Casa e estava lá como visitante.

Temer é fraco; Dilma é forte. Para fazer o que ella fez de desgraça, neste país, tem que ser forte mesmo...

Temer rebate Dilma: ‘Os que se dizem fortes destruíram o país’
Chamado de fraco pela antecessora, presidente afirmou que 'as pessoas confundem educação com eventual fraqueza'
Veja.com

O presidente Michel Temer rebateu nesta quarta-feira as declarações de sua antecessora Dilma Rousseff, que o chamou de “fraco e medroso” em entrevista concedida na semana passada ao jornal Valor Econômico. “Os que se dizem fortes destruíram o país”, afirmou o peemedebista, completando que “as pessoas confundem educação pessoal com eventual fraqueza”.

Ganhou o prêmio e não perdeu a sinceridade. Vejam o vídeo.

video
Sugestão de Otacílio Feitosa
PMJP OFERECE DESCONTOS DE ATÉ 100% PARA CONTRIBUINTES QUITAREM DÍVIDAS
Secom-JP 

Contribuintes em débito com o município de João Pessoa terão de 4 de abril a 3 de maio a oportunidade de fazer a quitação, tendo desconto de 100% nos juros para pagamento à vista e de 90% na multa por atraso ou por infração. O projeto de lei de autoria do Executivo Municipal foi aprovado na manhã desta quarta-feira (23) pela Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

Nesta quinta-feira (23), a Secretaria da Receita Municipal (Serem) divulga o calendário de atendimento. A previsão do órgão é de que o município tenha uma arrecadação de até R$ 15 milhões com o pagamento dos tributos em atraso. “É um valor que consideramos bem razoável. Temos uma previsão de arrecadar doze milhões de forma direta e três de forma parcelada. Este recurso arrecadado será devolvido a população em obras que serão realizadas em diversas áreas”, disse o secretário da Receita Municipal, Adenilson Oliveira.

O projeto ainda oferece descontos para pagamento do Imposto sobre a Transmissão Inter-vivos de Bens Imóveis (ITBI). A redução está fixada em 25% para o pagamento efetuado em parcela única dentro do prazo estabelecido.

A tal da Biz preta tá com a gôta!

Dupla da Biz preta assalta mercadinho e leva mais de 2.000 mil reais
Por volta das 15:30min desta quarta-feira (22), várias guarnições da Polícia Militar da cidade de Cajazeiras foram solicitadas para comparecer na Rua Desembargador Boto, no bairro do Cristo Rei, onde segundo informações dois marginais em uma moto Biz preta teriam praticado um roubo ao mercadinho União.

As guarnições ao chegarem no local constataram a veracidade da informação, através de relatos que davam conta que dois elementos em uma motocicleta e capacetes chegaram no local de arma em punho, renderam a atendente bem como um cliente e subtraíram celulares e dinheiro do estabelecimento, dando prejuízo de aproximadamente R$ 2.300 reais, sendo 800 reais do mercadinho e 1500 reais do cliente, que também teve seu celular tomado pelos marginais.

Após o roubo, os elementos foragiram-se tomando destino ignorado.

Viaturas passaram a realizar rondas no intuito de localizar os elementos, mas até o presente momento sem sucesso.

Mulher incompreensível...O marido estava dizendo a verdade. Veja no vídeo.

Marido: - Amor, me perdoe pelo atraso, mas no meio do caminho eu vi uma briga entre um velho e um travesti, que estava bloqueando a rua porque eles caíram no chão. Quando eu pensei que estava acabando, saltou de uma cadeira de rodas um cara que não tinha braços e pernas, e veio pulando na direção dos dois que brigavam. Aparentemente, era o namorado da travesti e começou a bater no velho, mas ele não tinha mãos, e parecia o Mike Tyson mordendo a orelha do velho... Era uma cena surreal, não dava pra acreditar no que eu tava vendo!

Mulher: - Eu estou cansada de suas mentiras, seu safado!! Pra fora de casa já!!!
video
Do grupo de WhatsApp Estresse Zero

Se não adotam providências drásticas, mas necessárias, todos os gestores ficarão só na perfumaria...

ZÉ ALDEMIR CORTA TELEFONES DE SECRETÁRIOS E DIZ QUE DINHEIRO É SÓ PARA PAGAR FOLHA
O prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), cortou os telefones institucionais dos secretários. Em entrevista à imprensa nesta quarta-feira (22), ele alegou que a verba da Prefeitura só da para pagar a folha. “Eu assumi o compromisso de pagar os salários em dia e estou cumprindo”.

Aldemir falou sobre as dificuldades em administrar a Prefeitura de Cajazeiras. “O recurso que entra aqui no município não dá para fazer quase nada, Não sobra nada para obras, por exemplo. Só tem dinheiro para a folha de pagamento, limpeza urbana e saúde. Por isso fiz diversos cortes, como o uso dos telefones da gestão pública pelos auxiliares, inclusive o meu, cortei também. Se eu uso o telefone pessoal, porque os secretários não podem usar o deles?”, indagou o prefeito.

A batida é uma só...


A DESTRUIÇÃO DA ALMA BRASILEIRA
DiáriodoPoder

O brasileiro está se tornando mestre na arte da dissimulação. Nada é o que parece, como o cônjuge traidor flagrado em ato sexual com a amante: “Posso explicar, não é o que você está pensando”, tenta, assim, enganar a esposa traída. A moça cai na balada, sem hora para voltar, engravida de um desconhecido e justifica que não sabia onde estava com a cabeça. “Não sei o que deu em mim”, lamenta. E eu vou lá saber?

O sujeito acabou de assassinar o rival, é preso em flagrante e diz ao delegado: “Doutor, se eu não tivesse feito o que fiz, não sei do que seria capaz!”. O marido espanca a mulher todos os dias, ou de vez em quando, tanto faz, e culpa a carestia ou a bebida por seus atos. “A vida está difícil, tudo subindo”, explica, ou diz que bebeu demais por causa dos problemas e perdeu a cabeça, mas quem perdeu a cabeça, ou uma parte dela, foi a vítima.

O corrupto desvia a merenda escolar, a comida dos presos, os remédios dos hospitais, os recursos do saneamento básico, a tornezeleira eletrônica, o Bolsa-Família, o dinheiro das obras e da segurança pública, mas diz que caiu em tentação e pede a Deus para livrá-lo de todo mal, amém! Agora, flagrados com o papelão na linguiça e as difusoras de porco na carne, têm a ousadia de dizer que a Polícia Federal está a serviço dos Estados Unidos. “Não é o que você está pensando”, diz, enganando o povo brasileiro, como faz o cônjuge flagrado em meio à fornicação, só que com a cabeça do porco na mão pensando que é um microfone.

A necessidade ininterrupta de mentir e de evitar a verdade, mostra Theodore Dalrymple, retira de todos aquilo que Custine (marquês de Custine, francês que escreveu La Russie em 1839, publicado em 1843) chamou de “os dois maiores dons de Deus – a alma e o verbo que comunica”, tornando as pessoas hipócritas, maliciosas, desconfiadas, cínicas, silenciosas, cruéis e indiferentes ao destino de outros como resultado da destruição de suas próprias almas.