quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A política externa do Brasil é vergonhosa. Compactua com ditaduras, critica democracias. A Câmara dos Deputados fez a sua parte, acertadamente.


A Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta quarta, 25, uma moção de repúdio ao governo venezuelano de Nicolás Maduro por “quebra do princípio democrático, com ofensa às liberdades individuais e ao devido processo legal”. Apresentada pelo líder da oposição Bruno Araújo (‪#‎PSDB‬-PE), a moção foi aprovada por todos os partidos, exceto ‪‎PT‬, ‪‎PCdoB‬ e ‪PSOL‬.

“O Parlamento não pode ficar passivo assistindo a esses fatos. A prisão do prefeito de Caracas chocou o mundo. Ontem, as forças de segurança de Maduro mataram uma criança de 14 anos", declarou o líder do ‪DEM‬, Mendonça Filho.

A bolha da fantasia estourou...

'Financial Times' lista dez motivos por que Dilma pode sofrer impeachment
Folha.com

Um artigo publicado no site do jornal britânico "Financial Times" nesta quarta-feira (25) lista dez motivos para acreditar que a presidente Dilma Rousseff pode não terminar seu segundo mandato.

Assinado pelo editor-adjunto de mercado emergentes da publicação, Jonathan Wheatley —que foi correspondente do jornal no país entre 2005 e 2011—, o texto cita entre as razões a perda de apoio no Congresso Nacional.

Até mesmo alguns petistas, segundo o artigo, se voltaram contra a presidente. "Alguns membros [do partido] a veem [Dilma] como uma intrusa oportunista", escreve. Dilma filiou-se ao PT nos anos 1990, após começar a carreira partidária no PDT de Lionel Brizola.

A maioria dos motivos mencionados no texto são de cunho econômico (veja a lista completa no final deste texto). Apenas dois têm apenas relação indireta com a economia: a falta de água e possíveis apagões elétricos.


DEZ MOTIVOS PARA ACREDITAR QUE DILMA PODE SOFRER IMPEACHMENT, SEGUNDO O 'FINANCIAL TIMES'

Perda de apoio no Congresso
Escândalo da Petrobras
Queda na confiança do consumidor
Aumento da inflação
Aumento do desemprego
Queda na confiança do investidor
Déficit orçamentário
Problemas econômicos no geral
Falta d'água
Possíveis apagões elétricos
Justiça decreta bloqueio de R$ 106 milhões em contas de Cerveró

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Nestor Cerveró

A Justiça Federal decretou o bloqueio de R$ 106 milhões do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Nestor Cerveró, acusado de receber propinas na contratação de navios-sonda para uso em águas profundas no Golfo do México e na África. A medida, datada de 21 de janeiro, acolheu pedido da força-tarefa da operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção na estatal petrolífera.

O valor confiscado corresponde à conversão de US$ 40 milhões, pelo câmbio daquele dia, R$ 2,65, atingindo R$ 106 milhões. Cerveró está preso desde janeiro. Ele já é réu em duas ações criminais da Lava Jato, uma por corrupção passiva, a outra, instaurada nesta quarta feira, 25, por lavagem de dinheiro.

Com parte da propina, segundo a Procuradoria da República, ele adquiriu um apartamento no bairro de Ipanema, zona Sul do Rio, declaradamente por R$ 1,5 milhão - o valor de mercado do imóvel bate em R$ 7,5 milhões. A Justiça já decretou o sequestro do apartamento.

Para ocultar a compra, a Procuradoria aponta que ele usou a empresa Jolmey do Brasil Administração de Bens, filial brasileira da offshore Jolmey, aberta no Uruguai. Nos autos da Lava Jato foi anexado o documento cartorial com a compra do apartamento.

Ele agia em nome de empreiteiras do cartel que se instalou na Petrobras. Camargo afirmou que Cerveró e o lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano - suposto operador do PMDB na estatal petrolífera - receberam os US$ 40 milhões. Depois, com base na conferência de extratos bancários, o delator refez as contas e comunicou a Justiça Federal no Paraná, base da investigação, que o montante da propina foi de US$ 30 milhões.

A decisão judicial levou em conta a primeira informação. "Quanto ao bloqueio de ativos, reputo, por ora, razoável limitar o valor no correspondente à suposta vantagem indevida repassada a Fernando Soares e a Nestor Cerveró, de US$ 40 milhões, convertendo-os pelo câmbio de R$ 2,65 como constante na denúncia o que chega a R$ 106 milhões", decidiu o juiz Sérgio Moro, que conduz todas as ações da Lava Jato.

No mesmo despacho, Moro ordenou a quebra do sigilo fiscal de Cerveró, no período de 2004 a 2014. "A quebra de sigilo fiscal abrange todos os dados disponíveis à Receita Federal." O Ministério Público Federal requereu o bloqueio de ativos no valor "suficiente à recuperação do produto do crime e reparação dos danos decorrentes do crime em relação a Nestor Cunat Cerveró".

Segundo a denúncia Cerveró, na condição de Diretor Internacional da Petrobrás, teria "recebido vantagem indevida de milhões de dólares para favorecer a contratação, em 14 de junho de 2006 e em 9 de fevereiro de 2007, pela empresa estatal da empresa Samsung Heavy Industries Co para fornecimento de navios sondas para perfuração de águas profundas".

"A vantagem indevida, de cerca de quarenta milhões de dólares, foi intermediada pelos coacusados Fernando Antônio Falcão Soares vulgo Fernando Baiano, e Júlio Gerin de Almeida Camargo, tendo ainda sido objeto de complexas transações financeiras destinadas a lavar o produto do crime", assinala o juiz Sérgio Moro.

"Entre essas transações, transferências financeiras internacionais, com emprego de contas no exterior em nome de off-shores."

O advogado Edson Ribeiro, que defende o ex-diretor de Internacional da Petrobrás, disse na quarta feira, 25, que a nova denúncia contra Cerveró, por lavagem de dinheiro, "é inepta". Ele afirmou que seu cliente não recebeu propinas e nem lavou dinheiro ilícito. Para Edson Ribeiro, o Supremo Tribunal Federal "vai anular toda a Operação Lava Jato".

É um bom sinal.Tomara que o STF também mantenha o padrão...

Sugestão de Luciano Holanda

Como uma simples mortal...

Cartão recusado

Flavia e Eike: vida dura
Flávia e Eike: vida dura
A vida não está fácil para ninguém: ontem, Flávia Sampaio, mulher de Eike Batista, teve o seu cartão de crédito recusado num supermercado da zona sul do Rio de Janeiro. Ligou para o marido imediatamente, mas nada se resolveu.
A propósito, Flavia nas últimas semanas passou a frequentar com assiduidade a sede do (que restou do) grupo X, na Praia do Flamengo.
Por Lauro Jardim

Por Reinaldo Azevedo

Coutinho, ora vejam, está se movimentando freneticamente nos bastidores, informa reportagem da Folha, para tentar impedir que se instale uma CPI para investigar contratos de financiamento do banco feitos durante a gestão petista

Segundo apurou o jornal, ele falou com pelos menos três senadores. Uma das alegações é que a investigação poderia prejudicar operações sigilosas do banco. A outra é que a instituição poderia ser colhida por uma onda de descrédito, a exemplo do que ocorreu com a Petrobras.


Eu até poderia compreender as preocupações do presidente do BNDES, não fosse a sua argumentação tão ruim. Vamos lá. É possível resguardar o sigilo de determinados documentos e operações, desde que não se trate de ilícitos e que se esteja protegendo o interesse nacional. As operações que o doutor pretende que fiquem distantes dos nossos olhos são dessa natureza? Ou o BNDES, agora, virou o braço financeiro da Abin (Agência Brasileira de Inteligência)?

E não fica bem, obviamente, acenar com o fantasma da derrocada da Petrobras para tentar impedir que uma CPI apure as operações feitas pelo BNDES. Afinal, a estatal está na lona porque se descobriu que estava entregue a uma quadrilha, que atuava em favor de um esquema político, gerenciado pelo PT, com benefícios também a outras legendas.

O temor de Coutinho certamente não está a indicar que quadrilha semelhante atue no BNDES, pois não? Eu nem sou adepto da frase “quem não deve não teme”. Em processos de investigação, marcados, muitas vezes, por vazamentos, irresponsabilidades, populismo, demagogia, quem não deve, a depender do caso, tem, sim, de temer. Coutinho que trate, então, de melhorar a sua argumentação.

O presidente do BNDES deveria ser mais prudente. Segundo o empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC, a oito dias do segundo turno — quando a empreiteira buscava dinheiro no banco para obras no aeroporto de Viracopos, em Campinas — foi Coutinho quem anunciou que ele, Pessoa, seria procurado por Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma. O presidente do BNDES nega a conversa.
Ah, sim: o requerimento da oposição para a criação da CPI do BNDES cita empréstimos para empreendimentos, considerados sigilosos, em Cuba, na Venezuela, no Equador e em Angola. O documento pede ainda para que se apurem empréstimos no Brasil para a JBS e a Sete Brasil. Coutinho, pelo visto, acha que essas coisas não nos dizem respeito. Prefere que a gente se mantenha longe disso. Ou, prevê ele, o BNDES também vai para o buraco.

É mesmo? Tomara que não! Mas, se fosse, certamente não seria por excesso de virtudes. É bem verdade que Lula já deu a linha moral desse tipo de raciocínio, não é mesmo? Falando a seus milicianos, ele lembrou que o Iraque vivia em paz no tempo de Saddam Hussein. Uma paz de quase meio milhão de homicídios, claro! É isso! A turma do Saddam Hussein brasileiro não quer que a gente saiba o que se fez com os muitos bilhões do BNDES.

Meu amigo José Maria Moreira Convida. Reverenciemos a memória da Professora Mariá Moreira Vieira.

Convite Missa de Primeiro Aniversário.


SAUDADES DE MINHA MÃE 

Em 20/02/2015, completou 01 (um) ano que a minha querida e inesquecível mãe, MARIÁ MOREIRA VIEIRA, foi para o Céu, por DETERMINAÇÃO DIVINA.

A SAUDADE É O QUE FICA DE QUEM NÃO FICOU. Sabemos que a morte nada mais é que uma despedida inesperada que não temos o poder de contestar ou evitar. Mesmo assim tenho sentido muitas saudades desta AMIGA de todas as horas e de todos os momentos fáceis ou difíceis.

Grande parte de minha vida foi de dedicação aos meus pais e contei com o apoio de minha esposa, a médica SELMA TANIA GUERRA MOREIRA (in memoria) e de meus filhos.

Minha mãe era uma mulher simples, batalhadora, sábia, educada e paciente, que soube muito bem desempenhar as suas funções de MÃE e de EDUCADORA. Todos que a conheceram poderão endossar o este meu depoimento.

Mesmo não sendo o meu caso, deixo, aqui, uma palavra de ALERTA para todos os FILHOS que pouco dão atenção, amor e carinho a seus pais: AME O QUE VOCÊ TEM, ANTES QUE A VIDA LHE ENSINE A AMAR O QUE VOÇÊ TINHA!

Na oportunidade, gostaria de convidar todos os parentes e amigos a comparecerem às seguintes Missas de Primeiro Aniversáriom, que serão celebradas:

1) Em Cajazeiras-PB, na Catedral de Nossa Senhora da Piedade - às 19:00 horas, do dia 28/02/2015. 

2) Em Cachoeira dos Índios-PB, na Capela de Nossa Senhora de Fátima - no Distrito de Fátima - às 17;00 horas do dia 28/02/2015. 

3) Em João Pessoa-PB, na Paróquia de Santo Antonio de Lisboa - às 17:00 horas do dia 01 de março de 2015, na Avenida Olinda, S/N., em Tambaú (localizada nas proximidades do Hotel Tambaú).

A família agradece a todos que participarem.

Uma pena o que aconteceu com aquele juiz...Ele tinha dado uma entrevista excelente, antes do episódio.

o Porsche de Eike
O Porsche de Eike
Ao confiscar os carros e o piano de Eike Batista, o juiz federal Flávio de Souza ajudou a magistratura a ganhar mais um penduricalho no contracheque: consta que a partir de agora os juízes passarão a ter direito ao vale-transporsche.
Por Lauro Jardim

********************
Ainda tem os bens da casa de Luma de Oliveira, ex-mulher de Eike. Olha o que inventaram...


Zé Dirceu tem razão absoluta!

Tradução: Impeachment no cú dos outros é refresco!
Exclusivo: advogado protocola pedidos de impeachment de Dilma

Dilma Rousseff durante entrevista no Palácio da Alvorada

Nesta quarta-feira, 25 de fevereiro, foram protocolados na Câmara dos Deputados dois novos pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

O autor é o advogado Luís Carlos Crema. A este blog ele explicou, com exclusividade:

"O primeiro pedido de impeachment, fundamentado nas provas obtidas na Operação Lava Jato, registra o cometimento de dois crimes de responsabilidade. Um, por violação à Constituição Federal e à legislação eleitoral, vez que, conforme indicam as provas colhidas nas delações premiadas, parte do dinheiro roubado da Petrobras foi utilizado para financiar a campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República em 2014”, afirmou o advogado, que continua:

"O outro crime denunciado, decorre do fato de que parcela do dinheiro roubado, desviado ao PMDB e PP, foi utilizado para comprar o apoio de partidos políticos à administração da presidente Dilma, evidenciando, assim, o crime de responsabilidade por atentar contra o livre exercício do Poder Legislativo'. 


"O segundo pedido de impeachment denuncia a improbidade administrativa da presidente Dilma, por negligenciar e permanecer inerte frente aos crimes cometidos na Petrobras que geraram prejuízo estimado de R$ 88,6 bilhões, conforme revelado pela presidente do Conselho de Administração, Graça Foster. A denúncia também identifica crime de responsabilidade de Dilma, pela negligência na conservação do patrimônio da Petrobras e por atentar contra a segurança interna do país, ao permitir a infração de lei federal”.

A 21 de outubro do ano passado Crema já havia protocolado junto à Câmara o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. E também duas outras ações junto ao Tribunal Superior Eleitoral, uma, requerendo o fechamento do Partido dos Trabalhadores (PT) e, outra, o afastamento da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, das Eleições de 2014.

A 23 de outubro, também de 2014, Crema havia ajuizado outro: sobre as provas que estão sendo obtidas pela Justiça Federal sobre o esquema para desviar recursos da Petrobras com o objetivo de financiar partidos políticos – PT, PMDB e PP – bem assim para custear a campanha à Presidência da República de 2010 da presidenta Dilma Rousseff.

Segundo Crema, as denúncias fundavam-se no fato da presidenta da República subordinar e submeter a sua administração, diga-se, a da República Federativa do Brasil, a interesses de entidade e governos estrangeiros, notadamente, ” à entidade denominada Foro de São Paulo e aos governos de países ditos ‘revolucionários’ da América Latina”.

Mas, diz ele, agora os fatos avançaram muito mais para que se ajuízem novas ações contra Dilma.

Ainda bem!



Petroleiro patriota tem o direito e o dever de defender a Petrobrás contra os malfeitores que atentaram contra a empresa. Já Lula é demagogia e estratégia.

A Petrobrás precisa se libertar de cretinos demagogos
Por Wallace Siqueira - Facebook

Com a camisa rasgada e exibindo o crachá de funcionário da Petrobras quebrado, o engenheiro Vinicius Prado, de 27 anos, disse que fez questão de ir para a porta da ABI para se posicionar contra a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um ato em defesa da estatal. Ele foi agredido por militantes petistas que o atacaram enquanto ele gritava com outras pessoas palavras contra o partido.

"Eu acho um absurdo o Lula falar em defesa da Petrobras sendo que isso tudo começou com ele lá. Eu sou petroleiro e eu sim vim aqui para defender a empresa. A Petrobras é feita por gente como eu, que acorda cedo, trabalha o dia inteiro e faz a empresa ter os resultados que tem", disse.

A primeira página do jornal Folha de São Paulo


As manchetes do jornal O Estado de São Paulo


Os destaques do jornal Brasil Econômico


A capa do jornal Diário de Pernambuco


As manchetes de jornais brasileiros nesta quinta-feira

Folha: Dados negativos ampliam ceticismo sobre ajuste fiscal

Globo: Em novo ataque, Renan diz que houve 'escorregadão' fiscal

Extra:  Policia apreende R$ 500 mil em drogas no Complexo da Maré

ValorEconômico: Rebaixamento da Petrobrás trava mercado para captação

Estadão: Ação da Petrobrás despenca e Dilma critica agência

ZeroHora: [Caminhoneiros] O protesto por dentro

EstadodeMinasMulher de deputado vai voar com nosso dinheiro

CorreioBraziliense: Você pagará até passeio de mulher de deputado 

CorreiodaBahia: PF prende dupla com 50 kg de cocaína em mercado

- OPovo: [Semáforos] Ministério Público vai investigar se houve sabotagem

DiáriodePernambuco: [Mulher de deputado] Elas viajam, você paga a passagem

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Jovem da casa de drinks “Babado Novo” que estava desaparecida é localizada no RN
Ângelo Lima

O caso do suposto desaparecimento de uma jovem que era frequentadora da famosa casa de drinks “Babado Novo” de Cajazeiras parece ter sido solucionado.

Segundo a proprietária da casa de drinks, Sandra Roberto, informou a nossa reportagem, a garota que era conhecida apenas como Vanessa foi localizada na cidade de Currais Novos, no vizinho estado do Rio Grande do Norte.

Sandra informou que utilizou de suas amizades na cidade de Currais Novos, onde tem um amigo delegado que localizou a jovem e conseguiu manter contato. A garota, que tem por nome Vanessa Vieira de Freitas, informou que teve seu celular roubado no primeiro dia de carnaval em Cajazeiras, na praça dos blocos e que, por isso, não conseguiu manter contato antes.

O fato do suposto desaparecimento fora então solucionado e a jovem Vanessa está regressando para a cidade de Cajazeiras, onde deverá chegar ainda na noite desta quarta-feira (25).

Se o governo - a quem competia fazer - não fez, a Câmara dos Deputados tomou a dianteira.

Aprovada moção de repúdio ao governo da Venezuela por desrespeito à democracia
Câmara Notícias

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (25), uma moção de repúdio à atuação do governo da Venezuela por “quebra do princípio democrático, com ofensa às liberdades individuais e ao devido processo legal”.

Proposta pelo deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), a moção cita, entre os fatos considerados violações do princípio democrático, a prisão de oposicionistas políticos, como Leopoldo López, o confisco de bens privados, a perseguição a jornalistas e a censura à imprensa.

“Nos últimos dias, a mídia divulgou amplamente a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, que, além de ter sido realizada de modo arbitrário pelas autoridades venezuelanas, conta ainda com rumores de tortura contra o oposicionista”, afirmou.

Araújo argumenta que o Protocolo de Ushuaia estabelece, no âmbito do Mercosul, que “a plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o desenvolvimento dos processos de integração entre os Estados partes”.

O anão diplomático é 'aguado' pela ideologia bolivariana (não vai crescer nunca!) e não pelos interesses nacionais brasileiros.

Aqui nas nossas barbas
Eliane Cantanhêde
O Estado de São Paulo

Não foi por falta de aviso que a presidente Dilma Rousseff caiu em mais essa esparrela: se ver, neste momento, perigosamente atrelada ao curioso e decrépito regime da Venezuela, onde Nicolás Maduro está literalmente caindo de maduro. O Itamaraty bem que avisou.

Ainda no primeiro mandato, aquele que já foi tarde, o então chanceler Antônio Patriota procurou a presidente para alertar que a coisa ia de mal a pior e sugerir que o Brasil mantivesse uma distância cautelosa, para não se contaminar nem inviabilizar o diálogo com a oposição (que pode vir a ocupar o poder um dia...).

Cheio de dedos, possivelmente morrendo de medo da presidente (ou "presidenta"...), Patriota relatou que os informes recebidos de Caracas pelas vias oficiais, diplomáticas, davam conta de uma deterioração acentuada do regime: recessão, inflação galopante, grave desabastecimento e até declínio das tão badaladas missões sociais, as "misiones".

Não se sabe como ele disse, mas o objetivo foi dizer que Maduro estava perdendo o controle da situação, a oposição se fortalecia e, portanto, seria conveniente aos interesses brasileiros e à imagem internacional do Brasil enviar sinais de descolamento do regime.

Dilma, que ouvira calada do início ao fim, cruzou os braços, mirou Patriota olho no olho e, conforme relatos, perguntou com jeitão de poucos amigos: "Acabou, chanceler?" E praticamente pôs Patriota porta afora.

Arminio Fraga diz que, na era PT, a economia é carregada de ideologia. Pois isso cabe como uma luva também para a política externa, que deixa de lado o pragmatismo conveniente aos interesses nacionais para agir na base de dois pesos, duas medidas.

Quando a Câmara, o Senado, a Justiça e a opinião pública aprovaram o impeachment do presidente Fernando Lugo dentro dos preceitos legais e constitucionais do país, o Brasil foi rápido no gatilho: condenou publicamente e liderou ligeirinho o movimento para suspender o Paraguai da Unasul e do Mercosul.


E agora, quando o governo Maduro manda prender o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, e não se vexa de invadir as sedes dos partidos de oposição? Uma nota daqui, outra dali, sempre escritas no Planalto e sem uma condenação explícita nem ao governo nem à ação típica e escancaradamente antidemocrática.

Fica aquela dúvida: aprovar o impeachment de um "cumpanheiro" de esquerda dentro da lei fere as suscetibilidades do governo brasileiro e as regras democráticas da Unasul e do Mercosul. Mas prender arbitrariamente o prefeito da capital e invadir as sedes dos partidos adversários são ações legítimas, aceitáveis?

O governo Maduro diz que se previne contra um golpe, mas não mostrou até agora uma mísera prova de conspiração de Washington, Prefeitura de Caracas, oposição e Forças Armadas - que, aliás, tanto ajudaram Hugo Chávez - para derrubar Maduro.

Ao contrário, é evidente que Maduro é quem trabalha contra Maduro. Seu governo é um desastre histórico para a Venezuela, para os venezuelanos, para o legado de Chávez e, claro, para sua própria biografia.

A prisão de Ledezma e a invasão dos partidos nada mais é do que um velho truque de governos aflitos e acuados: criar inimigos externos e miragens para tentar sobreviver à sua própria incompetência, à própria tragédia imposta a seus países e cidadãos.

E o Brasil com isso? O Brasil, como maior economia, maior território, maior população e principal líder político da região, deveria parar com isso de sobrepor as simpatias ideológicas aos interesses dos cidadãos.

Democracia é um conceito elástico, mas nem o mais ingênuo dos ingênuos pode considerar democrático o que ocorre na Venezuela, aqui nas nossas barbas. O Itamaraty sabe disso, mas quem manda é a presidente e sua assessoria, que fingem não saber. É aí que mora o perigo.

Conivência dolosa e incompetência, uma dupla explosiva!


Antonio Imbassahy

PERDA DE AUTORIDADE

A paralisação dos caminhoneiros, que já se reflete em 11 Estados, inclusive na Bahia, é mais uma consequência da incompetência e da má índole do governo Dilma. 

Os caminhoneiros protestam contra o aumento no diesel, dos pedágios e dos impostos. Como o preço de tudo nas alturas, outros protestos podem acontecer. 

No fim das contas é a sociedade pagando o preço de um governo atolado em corrupção, que gasta o dinheiro do contribuinte sem dó, e comandado por uma presidente sem autoridade.

E a UNE, heim?

Já imaginou a UNE cobrando os 7 bilhões que Dilma tirou da educação?? 

Ou nas ruas pedindo o impeachment como fez com o Collor? E por uma Elba-Fiat!!!

E a Petrobrás, privatizada por um projeto de poder de um partido? Cadê a UNE que não está vendo tudo isto?!

É pedir demais. A cooptação já foi feita à cu$ta de muito argumento... A UNE não representa os estudantes brasileiros...





E Marcelo Holanda saiu da UTI, em Campina Grande. Graças a Deus!


E, Deus disse: "-Tira Marcelo da UTI e leva para repousar no quarto, pois seus dias de sofrimento passaram." 

Agora. nos resta agradecer a todos que choraram e enxugaram as nossas lágrimas, nos momentos das maiores tormentas. A bondade Divina nos foi dada em decorrência do grande coração que Marcelo é possuidor, dos seus gestos e virtudes. 

Ao Deus maior o nosso apreço e aos amigos o nosso coração.
Reportagem de Adriano Ceolin publicada em edição impressa de VEJA


INCOMUM — Reguffe: já aconteceu de ir trabalhar no próprio carro e acabar sendo barrado pela segurança

PREGAÇÃO SOLITÁRIA

O agora senador Antônio Reguffe pretende economizar 16 milhões de reais dos cofres públicos. Como? Dispensando mordomias e cortando exageros que o cargo oferece

José Antônio Reguffe se tornou um especialista na arte de criar constrangimentos a seus pares. Em 2006, quando foi eleito deputado distrital em Brasília, seu primeiro ato foi renunciar às mordomias e aos benefícios do cargo. Nada de carro, motorista, verba indenizatória ou 14º e 15º salários. Enfrentou como consequência a indiferença dos colegas, mas a iniciativa repercutiu bem.

Na eleição seguinte, em 2010, tentou uma vaga no Congresso e acabou sendo o deputado federal mais votado do país em números proporcionais. Na Câmara, repetiu o exemplo. Dispensou assessores, devolveu passagens de avião, recusou cotas e auxílios disso e daquilo.

Resultado: apesar das ácidas críticas dos parlamentares, em 2014 ele saiu das urnas com o título de mais jovem senador da história do Distrito Federal. Na começo do mês, logo depois da posse no novo cargo, Reguffe anunciou que estava abrindo mão de uma série de regalias destinadas aos nobres senadores.

Em caráter irrevogável, ele não aderiu ao plano de saúde que reembolsa serviços médicos sem nenhum limite. Zerou os gastos com verba indenizatória e passagens aéreas – respectivamente, 15 000 e 6 000 reais por mês. Cortou pela metade os gastos com funcionários do seu gabinete, reduzindo o total de assessores de 55 para doze. E, como fizera na Câmara, abdicou do auxílio-moradia de 3 800 reais – uma ajuda esdrúxula para os parlamentares da capital.


(Arte: VEJA)

Durante a campanha, Reguffe foi duramente criticado pelos adversários. “Ele usa a austeridade como demagogia. Em oito anos como parlamentar, não aprovou nenhum de seus 34 projetos”, disse, durante a campanha, o então candidato do PT ao Senado, Geraldo Magela. O petista, que tinha a máquina do governo a seu dispor, terminou a disputa em terceiro lugar – e gastou 3,8 milhões na campanha, dez vezes o orçamento declarado por Reguffe.

Diante da aprovação nas urnas, o novo senador do PDT não pensou duas vezes:Se os colegas fizerem a mesma coisa, economizaremos mais de 1 bilhão de reais dos impostos pagos pela população”. Na semana passada, Reguffe chegou ao Senado dirigindo o próprio carro. Foi barrado pelos seguranças e teve de se identificar para entrar no prédio, algo que não acontece com os parlamentares que desembarcam do carro oficial com motorista.

A austeridade do senador não poupou nem sua esposa. Embora trabalhasse no Congresso havia anos, ela pediu demissão para evitar insinuações de nepotismo.
Color diz que dá uma Elba-Fiat se provarem a sua culpa...
PETROLÃO
Subsidiária de estatal pagou R$ 3 mi a Collor, diz doleiro

Propina teria resultado de contrato entre rede de postos e a BR Distribuidora

O valor, segundo Youssef, foi arrecadado em dinheiro vivo nos postos e pago em três parcelas de R$ 1 milhão

ESTELITA HASS CARAZZAI 
FLÁVIO FERREIRA
Folha de São Paulo

O doleiro Alberto Youssef afirmou a procuradores que investigam o esquema de corrupção na Petrobras que o senador e ex-presidente da República Fernando Collor de Mello (PTB-AL) recebeu propina de R$ 3 milhões resultante de negócio da BR Distribuidora, subsidiária da estatal.

Segundo o doleiro, a operação com a BR Distribuidora foi intermediada por um emissário de Collor e do PTB, o empresário e consultor do setor de energia Pedro Paulo Leoni Ramos. Nessa ocasião, segundo Youssef, Ramos trabalhou como um operador do esquema, intermediando suborno.

PP, como Ramos é conhecido, é amigo do senador desde a juventude. Foi ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos no governo Collor (1990-1992) e é dono de uma empresa de consultoria que também fazia negócios com Youssef, a GPI Participações e Investimentos.

De acordo com Youssef, a propina resultou de um contrato no valor de R$ 300 milhões assinado em 2012 entre uma rede de postos de combustíveis de São Paulo e a BR Distribuidora.

O negócio era para que a rede deixasse uma marca de combustíveis e passasse a integrar o grupo de revendedores da BR Distribuidora.

Em contratos regulares de troca de marca, em geral a empresa distribuidora dá um incentivo para que o posto de gasolina mude de bandeira. A ajuda serve para financiar obras e melhorias na rede.

Em 2012, foi nesse tipo de operação que teria sido negociada a propina no valor de 1% do total do contrato, o que corresponde a R$ 3 milhões.

O valor, segundo Youssef, foi arrecadado nos postos, em dinheiro vivo, em três parcelas de R$ 1 milhão, e depois repassado a Leoni. O dinheiro era destinado a Collor, afirma o doleiro.

De acordo com o delator, todos sabiam que Leoni era um emissário do senador.

Em seu depoimento, Youssef não detalhou como a propina teria chegado a Collor. Ele também não apontou nomes de diretores da BR Distribuidora que estariam envolvidos no esquema.

O depoimento de Youssef à força-tarefa da Lava Jato em Curitiba foi feito entre outubro e novembro de 2014.

Neste mês, o doleiro prestou novo depoimento sobre Collor, desta vez à Procuradoria-Geral da República, para dar mais informações sobre a suposta participação do ex-presidente no esquema de corrupção.

Em outro depoimento que prestou aos procuradores, Youssef disse que, em maio de 2013, mandou entregar R$ 50 mil em dinheiro vivo no apartamento de Collor em São Paulo. O senador nega a acusação.

A entrega teria sido feita por um dos emissários do doleiro, Rafael Ângulo Lopes, que também firmou acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato.

O PTB, partido do qual Collor é atualmente líder no Senado, tinha dois diretores na BR Distribuidora: José Zonis, na área de Operações e Logística, e Luiz Claudio Caseira Sanches, na Diretoria de Rede de Postos de Serviço.

Eles permaneceram na estatal entre 2009 e 2013. Zonis foi uma indicação direta do senador, segundo a Folha apurou; Sanches, do partido.

Ramos também é alvo de investigações da força-tarefa da Lava Jato em razão do repasse de R$ 4,3 milhões que uma de suas empresas fez à companhia MO Consultoria, de Youssef.

As autoridades também apuram negociações feitas entre Ramos e Youssef ligadas ao setor elétrico e ao laboratório Labogen, suspeito de integrar o esquema de fraudes do doleiro.

'Desasila, miséra!'

Pais oferecem mais de R$ 700 mil para que filho desempregado saísse de casa e nunca mais os procurasse

Um jovem desempregado contou na internet sobre a oferta que recebeu dos pais. Eles ofereceram 250 mil dólares (cerca de R$ 717 mil) para que o rapaz saísse de casa e nunca mais os procurasse.

A postagem foi feita no site Reddit depois que o envolvido aceitou o dinheiro. Sua intenção ao divulgar a história era pedir conselhos de como investir a quantia.

O homem anônimo alegou que nunca teve uma boa relação com os pais. “Sempre fui a causa perdida. Meu irmão era melhor que eu em tudo”, contou.


Um jovem desempregado contou na internet que recebeu dos pais a oferta de mais de R$ 700 mil para saísse de casa e nunca mais os procurasse.

“Eu era apenas um pouco acima da média, enquanto ele era sempre o melhor em tudo: academia, esportes, vida social…”, disse.

“Não sei porque meus pais tinham vergonha de mim. Sempre fui uma criança tranquila, fazia o que precisava fazer e não intrometia na vida de ninguém”, continuou.

Ele contou que sempre sofreu comparações, e, depois que o irmão morreu em um acidente, as coisas só pioraram. “Desde então, as comparações só aumentaram”.

O relacionamento entre o rapaz e a família melhorou quando ele foi para a universidade.

Porém, atualmente ele está desempregado e voltou a viver na casa dos pais enquanto procurava trabalho.

“Passei meses procurando emprego, sem muita sorte. Na semana passada (após a proposta), meus pais me disseram que tenho um mês para sair de casa e não entrar em contato com eles novamente”, concluiu.

Fonte: Mirror
Como ninguém foi ao aniversário de um garotinho autista, sua mãe pediu ajuda ao Facebook

Viva a internet!

BuzzFeed News Reporter

Este é Glenn Buratti, um menino de 6 anos do Condado de Osceola, Flórida. Ele tem autismo e epilepsia leves. No início deste mês, sua mãe Ashlee organizou uma festa de aniversário para ele,convidando 16 crianças de sua classe. Ninguém apareceu.


“Sei que pode ser algo bobo para reclamar, mas estou ficando com o coração partido por meu filho. Convidamos sua classe inteira (16 crianças) para sua festa de aniversário de 6 anos hoje. Nenhuma criança apareceu”, Ashlee publicou em um grupo local no Facebook.


Depois de publicar no grupo, 15 crianças da região e seus pais apareceram, mas não só eles.


Bombeiros e policiais da comunidade começaram a chegar à casa deles.

Com presentes!

Membros do Gabinete do Xerife e do Corpo de Bombeiros do Condado de Osceola deram a Glenn um tratamento VIP.


“Com certeza os vizinhos estavam espiando pelas janelas ou se escondendo”, escreveu John, o pai de Glenn, no Facebook.

“Foi uma coisa incrível que nossos policiais e bombeiros fizeram por nós”, escreveu ele.


O gabinete do Xerife do Condado de Osceola até mesmo mandou um helicóptero sobrevoar a festa de Glenn baixo o suficiente para o piloto acenar para ele.


Às vezes, quando você pede ajuda à internet, ela realmente aparece!
Garota que frequentava famosa casa de drinks de Cajazeiras está desaparecida
NovaOpinião

Uma garota que frequentava a casa de drinks Babado Novo, da cidade de Cajazeiras, está desaparecida desde a quarta-feira de cinzas.

Segundo informações colhidas pela nossa reportagem, a garota conhecida como Vanessa, que é natural de Juazeiro do Norte, no vizinho estado do Ceará, esteve frequentando a famosa casa de drinks da cidade até o último dia de carnaval, a terça-feira (17) e em seguida não apareceu mais.

A jovem tinha residência fixa na cidade de Cajazeiras, na Rua Padre Ancelmo. Seus vizinhos informaram que ela fora vista até a noite da quarta-feira de cinzas e que desde esse dia não a viram mais.

A proprietária do estabelecimento, Sandra Roberto, apelou para as redes sociais para tentar encontrar o paradeiro da garota, mas até o fechamento desta matéria não se teve notícias.